Herói da última rodada com gol e defesa no último minuto, Diego Oliveira comemora trabalho feito contra o Flamengo, tanto na linha, quanto debaixo das traves

PontePress/FábioLeoni

 

A noite do último domingo (22) foi diferente para Diego Oliveira. Após ter entrado no 2º tempo da partida contra o Flamengo, o atacante se tornou o nome do jogo ao fazer o gol de empate da Macaca, e mais além, após substituir Marcelo Lomba, que havia se lesionado, fez uma grande defesa após cobrança de falta de Ayrton. O jogador mostrou segurança no lance e comemorou o trabalho realizado.

 

“A bola veio um pouco em cima, mas eu tive que dar uma valorizada no trabalho. Quando estou de férias sempre brinco no gol, mas oficialmente é a primeira vez. Fiquei um pouco assustado, quando a bola começou a vir para o lado, mas tentei ficar o mais tranquilo possível para ajudar a Ponte Preta”, comemora Diego, que conta como foi a decisão durante a partida, para que ele vestisse a camisa 1.

 

“Eu estava só pensando em ajudar. Na hora que o Lomba machucou, nós do grupo conversamos. O Bob deu a ideia de ele ir para o gol e eu ficar de volante. Mas aí ficariam dois jogadores fora de posição. Aí eu disse que eu iria no gol e ele ficaria de volante mesmo. Ainda bem que deu certo e conseguimos empatar o jogo. Fico feliz de ter ajudado”, afirma o atleta.

 

Mas apesar de ter tido um bom desempenho, Diego prefere jogar no ataque. “Acho melhor ficar na linha mesmo. A não ser que o presidente venha conversar comigo aí para fazer um novo contrato de goleiro. Aí dá para pensar”, brinca o atleta, que viu o seu gol de empate não ter tanto destaque.

 

“O gol acabou ficando em segundo plano por causa da defesa. Mas sabia desse longo jejum que eu tinha e procurei sempre trabalhar da mesma maneira. Uma hora a oportunidade ia aparecer e conseguir marcar e passar por cima desse jejum. Tirou o peso das costas. E aí depois do gol, consegui defender, o que para mim foi mais um gol”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS