Hat-Trick de Vadão: três vitórias seguidas e 100% de aproveitamento da Macaca sob o comando do treinador

 

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToledo

Oswaldo Alvarez foi apresentado com novo treinador da Ponte Preta na manhã do sábado, dia 1º  de fevereiro. Nos nove dias que se seguiram, foram três jogos e três vitórias. Tudo isso com o pouco tempo entre uma partida e outra e tendo comandado apenas um treinamento coletivo, na última sexta-feira (07). Apesar do “hat-trick” e de ter levado a Ponte já à segunda posição no grupo – posição que pode se alterar no complemento da rodada na terça, mas se consolidar com a realização da partida atrasada contra o Ituano na quarta –  Vadão mantém os pés no chão e diz que o caminho ainda é longo.

 

“O céu e o inferno são muito próximos no futebol. Um ou dois jogos podem te levar de um lugar para o outro rapidamente. No entanto, mais importante do que simples vitórias, foi o resultado em cima de grandes equipes como o Corinthians e o São Paulo dentro de casa e ainda em cima do Comercial fora. Nós não estamos jogando um futebol espetacular. Estamos melhorando e nos disciplinando taticamente, mas ainda falta muita coisa para ficarmos prontos”, pontua Vadão.

 

O comandante da Macaca também analisa a atuação da equipe na última vitória no Majestoso, diante do São Paulo. “Como estava muito calor o jogo ficou muito lento e não é possível imprimir muita velocidade. O time que é mais técnico começa a tocar a bola e acaba achando o caminho do gol. Quando estávamos com a bola a gente queria chegar no gol muito rápido, esticava as bolas e devolvia para o São Paulo. Eles estavam tocando e nós assistindo e nos desgastando mais para correr atrás. No final do primeiro tempo e no segundo tocamos mais, tivemos mais posse de bola e equilibramos as ações, eles tiveram que correr sem a bola e se desgastaram”, diz Vadão.

 

Ele comenta também a evolução do atacante Alemão, artilheiro do time com três gols, que há duas ou três rodadas atrás estava sendo vaiado pela torcida e ontem saiu aplaudido de pé por todo o estádio. “Isso aconteceu pela mudança de posicionamento e pela postura dele. Deixamos ele mais livre, hoje temos outros dois atacantes e ele não estiver na área. Resguardadas as devidas proporções, em termos de posicionamento estamos fazendo com ele o que o Barcelona faz com o Messi. E pelo amor de Deus, que ninguém escreva que eu disse que somos o Barcelona”, brinca Vadão.

 

Ele complementa: “Além disso o Alemão quer jogar, tem vontade de fazer uma grande campanha com a camisa da Ponte, conversou muito comigo sobre isso. É preciso registrar que estou satisfeito com a evolução do time, digo que há muito para se fazer, mas estou muito satisfeito com o retorno e em especial com a disciplina tática. Por sinal, o (goleiro) Roberto me ajuda muito a cobrar isso, conto muito comele neste sentido”, diz o comandante alvinegro.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS