Para Guto, Ponte poderia ter saído com a vitória em Rondônia: treinador questiona pênalti não marcado em Fábio Santos e espera definir classificação em Campinas; veja os gols

Após o empate diante do Vilhena, o técnico Guto Ferreira fala sobre o resultado de ontem e procura explicar sua visão a respeito da partida. Para o comandante, o gol precoce do adversário, mais as contusões de João Paulo e Fábio Santos, contribuíram para que o jogo ficasse mais díficil. Guto e o elenco devem chegar a Campinas até o início da noite de hoje – inicialmente a Ponte estaria de volta às 13h40 no Majestoso, mas por falta de condições climáticas o voo original foi cancelado e um novo, saindo de Cacoal (cidade localizada a quatro horas do aeroporto inicial), está previsto para esta tarde.

“O gol saiu muito cedo ontem, foi uma infelicidade do Jeferson, que acabou escorregando no gramado molhado, e aí deu a oportunidade. Eles vieram a todo gás, talvez em uma jogada ensaiada. Tentaram no primeiro lance, o Jeferson cortou e no segundo escorregou. O passe foi muito firme, o que impossibilitou a minha zaga de rechaçar essa bola com qualidade”, relembra Guto.

E o gol, acrescenta, não foi tudo. “No mesmo lance perdemos o João Paulo e aí o time começou a ter dificuldades. Tivemos que botar de cara o Junio. Defensivamente foi tranquilo, mas ofensivamente ele ainda tem limitações, até porque a posição de origem dele é outra. Ainda assim nosso time cresceu, tomou conta do jogo, fez o gol de empate e teve muitas oportunidades.”

Guto critica a falta de marcação de pênalti em Fábio Santos, quando a Macaca já havia empatado – o jogador sofreu corte no rosto em entrada questionável do goleiro adversário e deverá ter de tomar pontos no corte. “O lance foi muito claro. A zaga ficou indecisa, o Fábio antecipou com a cabeça e buscou espaço nas costas da zaga. O goleiro vinha atabalhoado, para tentar o corte da jogada e acabou impedindo a progressão do Fábio dentro da área, com a trombada. Na  medida em que o Fábio toca na bola caracteriza o domínio e a projeção do lance. O goleiro impede o lance de forma irregular, é pênalti. Clarissimo”, afirma, acrescentando que a equipe alvinegra foi prejudicada duplamente com o desenrolar da jogada.

“No lance polêmico no Fábio acabamos perdendo ele também. Vinha bem no jogo e a saída nos tirou de novo de ter uma equipe mais encorpada, à medida em que tivemos que entrar com o Vítor Xavier que não é um centroavante de origem, é um jogado mais de beirada. E aí nossa equipe já não teve a bola presa na frente, para o trabalho que vínhamos tendo”, diz.

O comandante pontepretano analisa ainda que a Macaca teve chances reais de fazer o gol da vitória e agora espera consolidar a classificação para a próxima etapa da Copa do Brasil em Campinas. “Infelizmente ontem não aconteceu, mas vamos levar um resultado para Campinas importante, que nos dá a condição de um empate sem gols classificar. Vamos trabalhar para vencer bem e fazer um grande jogo. Melhor do que fizemos aqui”, explica Guto.

Sobre o confronto da volta, no dia 2 de abril, o técnico ainda não definiu a equipe que deverá iniciar. “Falta um mês para o jogo da volta. Já estaremos no Paulista na fase final. Devemos estar com a classificação definida. A tendência é utilizar mais gente do time que vem jogando. O momento é que vai dizer. Jogando em casa é uma situação um pouco diferente. Esperamos estar bem na tabela no Paulista e, se tiver condições, usar alguns jogadores que atuaram nesse jogo e outros que ficaram”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS