Após revés contra Fluminense, Guto Ferreira – que recebe título de cidadão na Câmara Municipal nesta noite – critica arbitragem, mas diz que Ponte não fez um grande jogo

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

A equipe da Ponte Preta sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro da Série A, na noite desta quarta-feira contra o Fluminense. O técnico Guto Ferreira – que recebe título de cidadão campineiro na noite desta quinta à 19h30 na Câmara Municipal, em cerimônia aberta ao público e transmitida ao vivo pelo canal 4 da NET ou na TV aberta em UHF 61.3 – analisa a partida.

“Precisamos admitir que nós entramos dispersos, realmente. Várias coisas que nós trabalhamos não aconteceram no primeiro tempo e eu cobrei deles isso no vestiário. A briga pela segunda bola seria um fator de muita disputa e nosso time teve dificuldades. Mas equilibramos o jogo. Mesmo se analisarmos o primeiro tempo, as chances mais claras de gol foram nossas, com o Borges e outra com o Tiago Alves. As bolas do Fluminense foram cruzamentos que atravessaram e chutes de fora. Não houve conclusão”, avalia.

Na opinião de Guto, no segundo tempo a Macaca melhorou, mas foi prejudicada por falha da arbitragem, por conta de um pênalti não marcado em cima de Josimar. “Voltamos no ritmo do primeiro tempo, mas quando estávamos crescendo, em uma jogada de contra-ataque o Josimar sofreu pênalti que não foi marcado. Aí o Fluminense interceptou a bola que chegaria nele, rompeu a nossa linha de marcação, conseguiu finalizar e o Lomba fez uma grande defesa, mas no rebote sofremos o gol”, relembra.

O treinador, então, mexeu no time. “A partir disso daí fizemos alterações, houve um crescimento, um volume e uma melhora no contra-ataque. Mas não fomos efetivos para fazer o gol. Tivemos uma situação com o Leandrinho e um chute do Roni e no final, no último lance do jogo, no tudo ou nada, a equipe já tinha perdido o padrão e acabou tomando o segundo gol”, explica Guto.

Ele reforça que não está transferindo responsabilidade pelo resultado. “Não fizemos uma boa partida, mas o lance foi capital porque deixou de ser um pênalti ao nosso favor e tomamos um contra-ataque com um volante que tinha saído do setor. Houve duas alterações ali, com uma interferência de um lance não apitado”, afirma o treinador.

Mesmo com a derrota, Guto salienta que a Macaca vai buscar melhorar e voltar a conquistar as vitórias na competição o quanto antes. “O Campeonato Brasileiro é essa dureza e tivemos dificuldade, sim. Temos que arrumar soluções para continuar lutando e buscando vencer. Não podemos vacilar e perder essa determinação. A equipe continua brigando, lutando, estão faltando detalhes. Naturalmente todo mundo que está vindo contra a Ponte está se precavendo, essas equipes estão brigando e nos dois últimos jogos não tivemos a felicidade de fazer os gols. Isso não quer dizer que não criamos. Estamos conseguindo ter chances, mas a bola não está entrando. Espero que no próximo jogo já voltemos a conquistar nosso objetivo”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS