Na reta final da pré-temporada, Gustavo Bueno fala sobre contratações para 2016, saídas do ano passado, especulações e almeja título no Paulista

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem:

PontePress/RodrigoCeregatti

 

A estreia do Campeonato Paulista está se aproximando com a chegada do dia 30 de janeiro, quando a Ponte Preta irá enfrentar o Oeste na cidade de Itápolis. Com isso, o elenco da Ponte Preta já está praticamente fechado, como conta o Gerente de Futebol alvinegro.

“Estamos aguardando a situação do Rafael Carioca, que é um jogador que já temos tudo praticamente acertado restando apenas alguma situação dele com o Paraná Clube e nós viabilizamos a vinda do João Vitor, que deve chegar o contrato de empréstimo em dois ou três dias. Com isso devemos iniciar o Paulista com esse grupo que temos em mãos”, diz Gustavo Bueno, que estabelece a meta pontepretana para este primeiro semestre.

“A Ponte Preta hoje é uma das grandes forças do estado e o nosso principal objetivo é brigar pelo título do Campeonato Paulista. Sabemos das dificuldades do torneio, mas entramos para brigar. Infelizmente alguns atletas importantes saíram, mas nós mantivemos a base e repomos. Por exemplo, saiu o Biro Biro e repusemos com o Rhayner, a mesma coisa com o Rodinei e o Nino Paraíba, o Wellington Paulista para o lugar do Borges. Acreditamos que esse elenco nos dá totais condições de brigar pelo título no Paulista.”

Sobre os jogadores que deixaram o elenco após o término da temporada, o pensamento do clube é de que as reposições foram feitas a altura. “Saídas acontecem não só na Ponte Preta, podemos observar o que está acontecendo com o próprio Corinthians. As saídas estão ligadas as virtudes e a própria campanha que foi feita, que credenciou a Ponte Preta como uma grande vitrine e surgiram propostas de outros clubes pelos jogadores. O trabalho de início de ano não muda por causa disso, os jogadores que tínhamos interesse de trazer nós conseguimos viabilizar e acreditamos que as peças que trouxemos tem totais condições de repor quem saiu”, opina Gustavo Bueno.

Um desses jogadores que saíram da equipe é o goleiro Marcelo Lomba, que ainda nutria esperanças de retornar à Macaca, algo que não deve acontecer. “Já tivemos uma posição sobre o Lomba e, infelizmente, nós não vamos conseguir porque o valor que o Bahia está pedindo na compra foge da realidade da Ponte. No momento nós iremos iniciar o Campeonato Paulista com os goleiros que nós já temos, os quais acreditamos que tem muito potencial e sempre que foi preciso, tanto o João Carlos como o Matheus corresponderam a altura. Logicamente que se surgir algum jogador, independente da posição, que atenda nossas necessidades e esteja dentro do orçamento não iremos medir esforços para viabilizar a contratação”, afirma Gustavo Bueno, que também aborda a situação do meia Leandrinho.

“O Leandrinho deveria ter se apresentado junto com o elenco da Ponte Preta e isso não aconteceu. O Departamento Jurídico da Ponte Preta encaminhou uma notificação para ele e até o momento ele não retornou a Ponte. O que posso dizer é que o nosso Departamento Jurídico está tomando todas as providencias cabíveis para conseguir resolver essa situação. Se dúvida nenhuma a Ponte Preta vai atrás dos seus direitos, seja via Federação Paulista, CBF ou via FIFA.”

Sobre as contratações para a temporada 2016, Gustavo Bueno faz uma breve analise de alguns deles. Começando pela lateral direita. “O Nino Paraíba foi, pelas estatísticas do Campeonato Brasileiro da Série A, o lateral que mais vezes chegou à linha de fundo. Então é um jogador que, não só na nossa concepção, mas na de todo mundo que acompanha o futebol, foi um dos destaques do campeonato na posição e tem uma força ofensiva muito grande.”

No meio campo, o Gerente de Futebol analisa duas contratações. “O Renato em 2014 participou muito daquela manutenção do Palmeiras na primeira divisão e teve um destaque muito grande em um ano de muita pressão. Iniciou no Joinville o ano passado e infelizmente teve a lesão. É um jogador que tem uma qualidade e um recurso muito grande e esperamos que possa contribuir. Já o João Vitor é um jogador que está indo para o quarto de Série A, fez um campeonato muito bom pelo Figueirense e também atuou no Criciúma e Palmeiras, tanto esse “know how” de Série A.”

Outro setor abordado foi o ataque. “O Rhayner já passou por Fluminense, Náutico, Bahia e foi eleito para a seleção da última Série B. Nós o vemos muito com o perfil da Ponte Preta com muita velocidade. O Taiberson é um jogador de lado que participou por diversas vezes da campanha do Internacional na Série A e está fazendo uma pré-temporada muito boa. O Wellington Paulista é um atleta que dispensa comentários e tem já nove anos de Série A”, aponta Gustavo Bueno.

Por fim, o assunto é a especulação da chegada de alguns jogadores no time e que não devem acontecer. “O Gum é um jogador que passou bem pela Ponte e tem uma história aqui ates de ir para o Fluminense. É claro que se pudéssemos contar com o Gum nós gastaríamos, mas ele tem um salário que foge da realidade da Ponte Preta hoje. Agora, Maxi Lopez e Dagoberto, com todo respeito a história desses atletas, não fazem parte do perfil de contratações da Ponte Preta.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS