Gustavo Bueno exalta confiança em elenco, para reverter o placar adverso contra o Corinthians: enquanto houver esperança, vamos lutar

O gerente de futebol da Ponte Preta, Gustavo Bueno, ressaltou em coletiva de imprensa na tarde dessa terça-feira (2) a confiança que tem no elenco da Macaca  para reverter o placar de 3 a 0, sofrido no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista, no último domingo (30), em Campinas.

“Esse grupo passou por situações difíceis ao longo do Campeonato Paulista. Houve a eliminação da Copa do Brasil, o resultado contra o São Paulo, o próprio início de temporada contra o Audax, e passou por cima de todas essas situações. O que passamos para eles foi uma palavra de confiança, em que nós acreditamos que é possível reverter essa situação. É difícil? Claro que é. Mas não é impossível. Enquanto houver esperança, vamos lutar", disse.

Bueno conta que passou aos atletas que a Ponte Preta acredita neles e que há condição para reverter o placar. "Não fizemos um bom jogo no domingo, foi apático, atípico, tomamos dois gols de bola parada, o que é difícil de acontecer. Mas da mesma forma que nós eliminamos o último campeão brasileiro e o último vice-campeão brasileiro, acho que temos que acreditar e temos chances de reverter essa situação”, afirmou.

Bueno contou que o grupo sentiu a derrota, mas precisa ltransformar esse sentimento em força para o último confrono. "No próprio vestiário após o jogo, era visível isso. O que procuramos fazer agora foi passar confiança. Se os atletas olharem para o comando da Ponte Preta e não sentirem firmeza fica difícil. Quem não acredita que não temos condição de reverter vai descansar essa semana, porque nessa temos que acreditar, ter o pensamento positivo, porque é a nossa cabeça que conduz o corpo. Se eu ficar pensando que é difícil, que vai ter 45 mil pessoas, vamos para lá fazer a pior partida do ano. Temos que acreditar!"

Bueno disse ainda que a solidariedade ao time tem sido relevante. "Temos recebido muitas mensagens de apoio de torcedores, de ex-atletas que passaram por aqui, como do Gilson, do Roger, que mandaram mensagem de confiança e isso é importante. A torcida entendeu que não fizemos um bom jogo, mas no final gritou e apoiou os atletas. A própria torcida entendeu que esse grupo foi merecedor de tudo o eu fez até agora, que pode alcançar mais e que talvez foi um dia atípico. Agradeço e podem ter certeza que o apoio dos torcedores nós vamos carregar domingo lá e enquanto tiver um fio de esperança, vamos brigar por esse título.”

O gerente disse que os atletas também acreditam que ainda podem ser campeões no domingo. “Todo mundo tem a confiança que podemos reverter. Vimos no brilho nos olhos deles e da mesma foram que fizemos uma partida atípica, o Corinthians pode fazer também. É mesma equipe que desbancou Palmeiras e Santos. Vamos lutar por esse título”, disse Bueno, que acrescentou:

“O foco é total no Campeonato Paulista. Precisamos ganhar o jogo e mostrar para o nosso torcedor a identidade do time da Ponte Preta, que trouxe essa multidão no último jogo. Temos que pensar nessa final e depois mudar a chave para a Copa Sulamericana”, explicou.

O gerente também comentou o que acha que houve para a Ponte ter perdido o jogo contra o Corinthians."Ficamos reunidos até 2 horas da manhã após o jogo, tentando entender o que aconteceu. Tenho certeza que cada atleta, membro de comissão técnica e torcedores, ficaram tentando encontrar o que houve. Na minha opinião foi um jogo atípico. Não fizemos uma boa partida. Tomamos um gol de tiro de meta e outro de arremesso lateral. Não podemos agora fazer caças às bruxas. Futebol é um desporto coletivo. Quando ganha, todos ganham e quando perdem, todos perdem. O Gilson, com a inteligência que tem, vai saber corrigir o que não encaixou, junto com sua comissão técnica e vamos para lá, com a cabeça erguida e tentar inverter a situação.”

Bueno admitiu que, para ele, a derrota teve sabor duplamente amargo. “Além de profissional do futebol, todos sabem eu tenho ligação pontepretana. Tenho minha história dentro do clube e foi muito difícil digerir. Muito difícil procurar entender o que aconteceu. Mas temos dois caminhos. Ou vamos ficar a semana inteira lamentando o resultado ruim do jogo do Corinthians, remoendo isso, sofrendo ou vamos remontar os cacos e acreditar que dá para reverter. Temos que ir para lá para mostrar o que a Ponte já mostrou. Vamos melhorar! Essa semana será produtiva e vamos mostrar ao torcedor o que ele quer ver. Uma equipe aguerrida, que tem hombridade e que vai lutar até o final. Se vai acontecer ou não, não podemos prever. Mas que vamos iniciar essa semana com confiança, pode ter certeza”, finalizou sobre o tema.

Sheik

Questionado sobre a negociação com Emerson Sheik, o gerente de futebol disse que o atleta deve chegar para exames ainda nesta semana. “É uma situação em que já vínhamos trabalhando a situação desse atleta. Ele tinha outras propostas, mas procuramos passar para ele o projeto da Ponte Preta. O que pesa para nós muito é que por onde ele passou conquistou. Sempre foi vencedor", disse.

Além disso, acredita Bueno, o atacante tem o perfil do clube. "Ele se doa, é aguerrido e nós vínhamos há um pouco mais de um mês falando e mostrando o projeto para que ele acreditasse fizesse parte desse trabalho. E no jogo contra o Palmeiras, tivemos uma conversa por telefone, ele assistiu, vem acompanhando e comentou que tinha outras propostas, mas que o time da Ponte é muito qualificado, e que não iria expor uma carreira de sucesso que tem, para fazer um campeonato ruim. Um jogador vencedor pensa muito nisso. Ele vai procurar opções onde ele possa fazer um bom ano."

Para Bueno, Sheik sempre teve conquistas por onde passou e quer terminar sua carreira com uma imagem boa. "Graças à própria campanha e ao nosso trabalho, convencemos que o melhor caminho seria a Ponte. Está praticamente fechado, só não anunciamos de forma oficial porque o trabalho com a Ponte é a partir do momento que assina o contrato. Estamos atentos ao mercado, as situações vão aparecendo e vamos ajustando de acordo com a condição financeira do clube e técnica do atleta”, disse Gustavo, que destacou ainda o trabalho de Pottker.

“Tem que se dignificar a atitude do Pottker durante esse período. O que esse menino tem feito, já com um pré-contrato com o Inter, o que ele tem se doado, o que tem feito pela Ponte e nós que estamos no dia a dia, que vemos situações de vestiário, talvez vocês não acompanhem, mas a maneira como ele se emocionou e se expos após essa derrota, acreditando em uma situação de reverter o placar. Só temos que valorizar a atitude desse profissional, mas acabando o Campeonato Paulista, ele segue a vida dele. Vai deixar um legado muito grande na Ponte, além da sua hombridade, do seu caráter, além da questão técnica dentro de campo”, concluiu.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS