Goleiro Ivan fica no banco e diz que é um sonho que se torna realidade; preparador André Dias destaca arqueiro tão jovem e mostra confiança no titular da tarde, Camilo

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToledo

A Ponte Preta encara o Mogi Mirim na tarde deste domingo (23), no Moisés Lucarelli, e para um jovem atleta é um momento muito especial: o goleiro Ivan, de 17 anos, que faz parte do Juvenil da Macaca, ficará no banco de reservas. Para o arqueiro, é um motivo de orgulho conseguir essa oportunidade importante na carreira tão cedo.

“Para mim é uma satisfação enorme estar podendo fazer parte do grupo e ter a oportunidade de ir para o jogo. Estou muito feliz e, ao mesmo tempo, realizado. Desde quando a gente é criança sonha com uma oportunidade dessa e hoje poderei realizar”, afirma Ivan, que tem 1m92m, está há dez meses no clube e em pouco tempo ganhou a confiança do preparador de goleiros André Dias.

“O Ivan é um garoto que ainda é juvenil e nós resolvemos dar oportunidade. É um goleiro de muito potencial, mas jovem ainda, não podemos criar muitas expectativas em relação a ele agora. O Ivan treina com a gente, faz parte do profissional, mas ainda tem muito a crescer. Tem que jogar campeonatos juvenis, juniores, mas é um futuro muito grande que vemos nesse garoto”, avalia André Dias que, mesmo ponderado, ressalta as qualidades do seu jovem comandado.

“Ele é um goleiro alto, com personalidade e outra coisa: se ele está no banco, tem condições de jogar amanhã. Se precisar entrar estamos tranquilos. É óbvio que ainda está longe do que pretendemos e esperamos de um goleiro para jogar na Ponte Preta como titular, mas está começando bem”, diz o treinador.

Atualmente 4º goleiro da Macaca, Ivan agradece os trabalhos que os profissionais da preparação de goleiros tem feito com ele desde que subiu para o profissional. “O André Dias, junto com o Eduardo Frattini, sempre está cobrando de nós para fazer o melhor. Procuro me esforçar ao máximo e sem dúvida, ele tem um papel importante nessa minha caminhada”, afirma Ivan, que mostra humildade em procurar aprender com os goleiros mais experientes e consagrados do grupo da Ponte Preta.

“Estou sempre treinando ao lado do Roberto, do Daniel e do Camilo, que são grandes goleiros. Até quando estou fazendo meu trabalho, estou olhando o deles para ver se posso melhorar ainda mais”, diz. Ivan se mostra confiante em realizar uma boa partida logo mais. “A partir do momento que subimos para o profissional, tem que estar preparado para esse tipo de oportunidade. E independente ou não de entrar no jogo, estou preparado”, acredita o atleta.

Para o preparador de goleiros André Dias, o fato de utilizar um atleta tão novo entre os profissionais também é importante para valorizar o trabalho das categorias de base. Ele mesmo relembra quando teve sua primeira oportunidade.

 “Estava até comentando essa semana, que fazia muito tempo que um goleiro tão jovem subiu para o profissional. Eu subi em 1987, quando a Ponte tinha Cilinho e Nelsinho Bapstista como técnicos, aos 17 anos. Mas eu acho que iria completar 18 anos. O Ivan é ainda mais novo. Ele subiu para o profissional com 16 anos e completou 17 recentemente. É uma situação parecida, mas foi coincidência”, recorda o treinador, que também destaca o titular da tarde deste domingo contra o Mogi Mirim, o terceiro goleiro Camilo.

“Essa é a importância de termos um terceiro goleiro no mesmo nível dos outros dois. Às vezes as pessoas não dão importância ao terceiro goleiro, mas uma hora ou outra vamos precisar dele. Apesar de ele entrar em uma situação tranquila no campeonato, o Camilo está pronto para jogar no nível dos outros”, completa André Dias.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS