Relacionado pela segunda vez para uma partida, atacante Giva quer agarrar oportunidade na Macaca para voltar a crescer no futebol

 

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/RodrigoCeregatti

 Ele despontou para o futebol ao lado de Neymar, em 2013, quando foi promovido aos profissionais após chamar atenção no título invicto da Copa São Paulo de Futebol Júnior (na época, chegou a ser classificado por Muricy Ramalho como "parceiro ideal” para o hoje atleta do Barcelona), porém, nos últimos dois anos e meio, até mesmo em virtude de contusões, não teve a chance de crescer como se esperava. Uma história que, no que depender do atacante Giva, irá voltar aos eixos com a camisa da Ponte Preta..

“Fiquei muito feliz com esta chance de retomar minha carreira no Brasil, com esta oportunidade que a Ponte Preta está me dando. Tenho uma grande expectativa de recomeço, tive altos e baixos na minha carreira, mas espero agora entrar em uma crescente com a camisa da Macaca”, diz o atleta, que foi relacionado entre os convocados pela segunda vez seguida pelo treinador Eduardo Baptista.

Ainda no Santos, Giva sofreu com lesões – primeiro uma cirurgia no ombro e depois um problema no púbis – e, recuperado, acabou seguindo para o futebol espanhol, onde atuou pelo Llagostera. “Foi uma experiência muito boa, eles trabalham de maneira diferente lá e ganhei muito com isso”, diz. Neste ano, em busca de nova chance no Brasil, chegou a vir para o Água Santa no Paulistão.

“Tentei retornar lá, mas acabei não conseguindo porque tive uma lesão. Tive um começo muito bom, jogar ao lado do Neymar foi um ótimo momento mas aconteceram lesões e não consegui dar continuidade boa, também porque fiz algumas escolhas precipitadas, mas agora estou bem e tenho ótima oportunidade aqui na Ponte. Sou jovem ainda e posso tentar novamente, felizmente acordei a tempo e posso dar a volta por cima. É o que quero fazer aqui”, diz.

Bem recebido na Ponte, onde tem amigos com quem já jogou no Coritiba e no Santos (como René Junior e Reinaldo), Giva diz que se sente em casa e tem orgulho de vestir a armadura alvinegra.” Até falei com a minha mãe após o último jogo, quando fiquei no banco, sobre como estou contente em voltar a jogar na elite do futebol brasileiro, ainda mais na Ponte. Ela inclusive perguntou como vou me sentir se for convocado pra jogar contra o Santos na Vila e eu disse que ficarei muito feliz, ainda mais se fizer um gol pela Ponte lá e ajudar a vencermos o jogo”, conta.

Sobre suas características, Giva diz ser versátil e estar à disposição do que for melhor para o esquematático do time. “Posso jogar pela beirada ou como aquele 9 que se movimenta e vai mais a frente.Onde o professor optar eu faço, procuro estar treinando sempre nas duas posições”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS