Gerente de futebol Marcus Vinícius fala sobre busca do novo treinador, futuro da Ponte e destaca: é hora do torcedor abraçar o time e apoiá-lo

 

O pedido de demissão do treinador Paulo Cesar Carpegiani iniciou a busca da diretoria da Ponte Preta por um novo comandante técnico para a equipe. O gerente de futebol Marcus Vinícius fala sobre a passagem de Carpegiani na Macaca e sobre a busca por um novo treinador. “A saída do Carpeginai é uma tristeza para nós, é um treinador de altíssimo nível que eu conheço bem, foi meu técnico quando eu era jogador. No entanto, agradecemos a ele e a vida continua. O Paulo tem os motivos dele e respeitamos isso. A Ponte Preta cresceu muito com a vinda do Carpegiani, mas  vamos seguir. Em relação a nomes não temos ainda, até porque isso nos pegou de surpresa. Estamos discutindo isso e esperamos anunciar o novo treinador o quanto antes.”

 

Marcus Vinícius destaca a importância da torcida pontepretana neste momento, para ajudar o time a sair da má fase vivida. “Estamos em um momento ruim e a Ponte estando mal todos são prejudicados. Acho que a torcida deve abraçar o time neste momento. A nossa torcida é uma torcida fiel, que luta e vibra com a gente. O torcedor tem que entender que agora é um momento que as coisas se afunilaram. A Ponte é o time do povão, da torcida que balança o alambrado. Agora, quando o torcedor começa a xingar um jogador com cinco minutos de jogo, isso é torcer contra. Temos que gostar um pouco mais do nosso clube. A Ponte é um time estruturado, que paga religiosamente em dia, que não deve nada pra ninguém. Eu conheço bem a nossa torcida porque joguei aqui por quatro anos e sei que agora vemos ver quem é a torcida da Ponte e que ela vai abraçar o time”.

 

 

Na busca por esse maior apoio, o gerente de futebol faz questão de deixar algumas situações bem claras para o torcedor. “Fala-se e vende-se muita coisa para o torcedor e que não existe. Por exemplo, perguntam cadê o dinheiro do Clebão e do Cicinho insinuando que veio muito e não fizemos nada com ele, ou coisa pior. Mas esse dinheiro não veio todo para a Ponte, teve mais gente recebendo. Os outros clubes têm 60, 70 milhões da televisão e nós não pegamos nem 30. Não é fácil fazer o futebol. Manter a Ponte Preta na primeira divisão não é fácil. Estamos falando a realidade para o torcedor da Ponte, nós não podemos vender um produto que não podemos entregar. A nossa luta é difícil. Acertamos em muitas contratações, mas também assumimos que erramos em outras ao longo desse tempo”.

 

Sobre os atletas do atual elenco em si, Marcão destaca que ao mesmo tempo em que há muitos que dão tudo de si em campo, há aqueles que não atingiram o potencial que têm. “E eles sabem disso, até porque falo pra eles diretamente olhando nos olhos. E agora mais do que nunca terão que ser homens e honrar o compromisso que têm conosco, todos têm que dar o máximo de si, senão derem terão que procurar um caminho fora daqui.”

 

Outro assunto abordado foi a busca por reforços para a sequência da disputa do Campeonato Brasileiro da Série A e da Copa Total Sul Americana. “Em relação a reforços é aquilo que sempre falamos, se existir um bom jogador que esteja dentro do nosso orçamento nós vamos trazer, mas temos que entender que o mercado está escasso de bons jogadores. Muitos perguntam por que não trazemos um jogador que ganha 200 ou 300 mil? Primeiro que isso seria um passo maior do que a perna e segundo que se o atleta fizer dois jogos ruins ele senta no contrato e alguém tem que pagar a conta. Nós estamos à procura, o elenco não está fechado e estamos atrás desses nomes dia e noite”, afirma Marcus Vinícius.

 

Ele finaliza esclarecendo duas situações pontuais de atletas: a saída de Alemão e a ausência de Baraka nos últimos jogos. “O Alemão é uma excelente pessoa e tem um potencial imenso, mas tem que repensar algumas atitudes. Eu disse a ele, atleta profissional com percentual de gordura acima do que deveria é um absurdo, não pode acontecer. Tenho certeza que ele vai amadurecer neste tempo fora e espero que volte e nos dê alegrias. Quanto ao Baraka, ficou fora por opção do treinador. O Baraka é um cara sério, dedicado, foi titular em 90% das partidas desde que está aqui e com certeza vai trabalhar duro para voltar ao elenco, com quem quer que seja o novo treinador.”

 

A diretoria pontepretana se reuniu na noite de sábado e tem novas reuniões agendadas para este domingo. Caso o novo técnico não seja definido até terça-feira, data da segunda partida contra o Criciúma pela Copa Total Sul Americana, o auxiliar técnico Zé Sérgio assumirá o comando do time para o confronto.

 

 

(crédito obrigatório parareprodução da foto: PontePress/DJotaCarvalho)

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS