Gerente de futebol Gustavo Bueno comenta chegada de Gilson Kleina e fala do planejamento para a temporada

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

O gerente de futebol da Ponte Preta, Gustavo Bueno, falou sobre a volta de Gilson Kleina ao comando técnico da Macaca, além da continuidade do planejamento do clube para a temporada. Segundo o dirigente, o treinador sempre foi o primeiro nome na lista de intenções do clube e acredita que, com a chegada do comandante, o time vai prosseguir na luta por grandes conquistas.

 

“Quando existe uma troca de comando é normal, como em qualquer clube, que se analise os nomes que estão disponíveis no mercado. Procuramos ter calma e cautela para definir essa situação. Foi um consenso na diretoria e às vezes se colocam coisas de forma equivocada. O “A” quer o “B” e o “X” quer o “Y”, e não funciona assim. Claro que existem divergências de opinião, como em qualquer empresa e na Ponte não é diferente. Mas a partir do momento que se toma uma decisão, é um consenso. Sempre foi falado no Gilson como primeiro nome e vocês sabem disso, porque em outras ocasiões foi assim. O Goiás entrou em um momento de vitórias e dificultou um pouco. Recuamos. E tem que se ter um tempo. Talvez após o jogo contra o Corinthians. se tivéssemos comunicado que o João Brigatti voltaria para o posto de auxiliar, seríamos criticados, execrados. Nós não analisamos pelo resultado, mas sim pelo trabalho, planejamento e sempre deixamos claro que independentemente do resultado, o João era um interino nosso, profissional do clube e ele próprio colocou isso. O momento certo aconteceu, o Gilson se desligou do Goiás e estive em São Paulo com o empresário. Existia o interesse de outro clube no Gilson, mas ele mostrou um desejo muito grande de voltar para a Ponte, de resgatar uma história que foi construída com sucesso. Espero que possamos dar respaldo ao Gilson, corrigir os erros e fortalecer ainda mais os acertos. Todos juntos vamos buscar o que almejamos, que é o título do Campeonato Paulista”, ressaltou Bueno.

 

Sobre o projeto na temporada 2017, o dirigente destacou que o clube está em busca de qualificar o elenco. “É claro que já temos traçado o nosso planejamento. Do que entendemos como carência, das possíveis trocas e isso faz parte. Não é só a Ponte, mas todos os clubes agem assim. Quando se monta um planejamento é claro que é achando que as coisas vão acontecer, de repente uma ou outra peça não encaixa e no momento certo tem que ser feita essa alteração. Nós temos uma política de trabalhar que é de sempre resolver esses assuntos internamente, porque a partir do momento que você expõe algum atleta, dificulta esse processo. O mais importante é dar o respaldo para o Gilson. Nosso momento é o Campeonato Paulista, a briga pelo título e que nessa competição que estamos vivendo, e é a mais importante, que consigamos a classificação e chegar longe”, disse o gerente, que acrescenta.

 

“Vamos buscar dentro da realidade do clube e do orçamento, fortalecer a equipe. O ano passado fizemos um Paulista muito complicado e a maioria da imprensa dava como um time rebaixado e terminamos o Campeonato Brasileiro em oitavo lugar. 2015 foi a mesma coisa. Se questionava muito e as coisas aconteceram. Nosso foco, com a chegada do Gilson é que façamos um bom Paulista e a partir do momento que ele analisar o elenco, com calma, porque precisa de tempo para isso, vamos sentar e discutir sobre o planejamento”, explicou.

 

Gustavo Bueno também destacou o quanto é importante ter o apoio do torcedor pontepretano. “O bem maior da Ponte Preta é a sua torcida. O clube se motiva por conta dela e isso é o importante. Sempre caminhamos juntos com a torcida e as mesmas ambições dela é a nossa também. De buscar esse título e de tentar algo mais. Mas as decisões internas tem que ser pautadas por nós, que temos essa responsabilidade de estarmos aqui no dia a dia”, afirmou o dirigente, que ao falar novamente sobre reforços, disse estar atento ao mercado.

 

 

“O Campeonato Paulista é o mais competitivo do país. Ano passado trouxemos o Thiago Galhardo, o Pottker e o Roger. Os três foram destaque na competição e todos os três contribuíram muito ao longo do Brasileiro. Prefiro não citar nomes, mas temos alguns atletas do Paulista que estamos monitorando e que se tiver condições de trazer, assim será feito. Mas o mais importante é dar tempo ao Gilson, focar no Paulista e no momento certo sentar para falar de possíveis partidas e chegadas”, completou.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS