Ainda sem time definido para estreia no Paulistão, Ferrugem trabalha forte em busca da vaga de titular na equipe

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem: PontePress/DJota Carvalho

 

Os trabalhos seguem fortes na pré-temporada da Ponte Preta. Faltando quatro dias para a estreia da Macaca no Campeonato Paulista, diante do Ituano, domingo (19), às 19h30, no Moisés Lucarelli, um dos mais ansiosos para entrar em campo é o volante Ferrugem. O atleta, que não atuou muito em 2013, não vê a hora de jogar, caso o treinador o Sidney Moraes o escale entre os 11.

“No meu caso a ansiedade maior é voltar logo a jogar, porque ano passado estava em um momento bom, mas infelizmente machuquei. Estou ansioso, querendo jogar, mostrar meu trabalho para a torcida, como mostrei no fim da Sul-Americana ano passado. Espero dar continuidade a isso. Não posso deixar essa ansiedade me atrapalhar, mas sei administrar isso e pretendo voltar ao gramado domingo e dar alegria a essa torcida da Ponte que merece”, afirma o atleta, que não se incomodaria caso o comandante da Ponte optasse por escalá-lo em outra função.

“Eu sou acostumado a jogar no meio de campo, mas estou aqui para ajudar a Ponte Preta. Quero estar entre os 11, quero jogar, esse é o objetivo de todo atleta, que é estar no grupo. Onde o professor optar em me colocar eu vou dar meu máximo e fazer o meu melhor pela Ponte Preta. Fazemos o nosso trabalho para jogar e espero estar à disposição, independentemente da posição. O ano passado eu fiquei nove meses sem jogar, por conta da contusão e esse quero dar a volta por cima”, explica Ferrugem.

O jogador também faz questão de falar sobre a desconfiança que paira sobre a formação do elenco pontepretano para esta temporada. Segundo o jogador, isso tem que ser usado como arma de motivação.

“Sinto que há desconfiança porque não houve tantas contratações iguais o ano passado. Mas estamos focados e trabalhando para surpreender. Quando tem desconfiança é bom, porque quando surpreendermos ficar mais bonito e mais gostoso para nós”, diz o volante, que reforça esse sentimento falando sobre a importância da conduta do atleta para alcançar o sucesso na equipe.

“Não podemos desanimar. Nossa vida é o trabalho. Independentemente se está jogando ou não, temos que trabalhar, treinar e estar pronto para as oportunidades. As chances aparecem quando você menos espera e você tem que estar pronto para isso. Por mais que nós queremos estar sempre jogando, o treinador tem as opções dele e temos que respeitar isso. Porque o nosso companheiro às vezes pode estar em um melhor momento. Ficamos chateados de estar no banco, mas temos que mostrar para o treinador no dia-a-dia que você está pronto para quando a oportunidade aparecer. E quando surgir tem que dar o máximo para não sair mais. Foi o que aconteceu comigo ano passado. Eu nunca desisti, não abaixei a cabeça para ninguém. Tanto que o Jorginho viu meus trabalhos e meu deu oportunidade no fim do Brasileiro. Por mais que não valia nada para a Ponte Preta, para mim valia muito. Tanto que fui para a final da Sul-Americana, onde eu não estava nem sendo relacionado. Fui por causa do meu empenho e do meu trabalho nos treinamentos”, afirma Ferrugem, que mesmo confiante, faz uma ressalva sobre esse início de competição e manda um recado para a torcida.

“Tem pouco tempo que estamos em pré-temporada. É pouco tempo para se formar uma equipe que tem jogadores que vem de fora, que não se conhecem e não tem as mesmas características. Nós vamos nos conhecendo no decorrer do campeonato. Mas uma coisa que a torcida pode esperar é empenho, vontade, que jamais vai faltar na nossa equipe”.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS