Macaca faz último treino antes de seguir para Minas e Ferron, que comemora permanência na Ponte, diz que time vai seguir trabalhando forte na competição

Crédito obrigatório para reprodução da foto
PontePress/FábioLeoni

A Ponte Preta faz na manhã deste sábado o último treinamento antes de seguir para Minas Gerais, onde enfrentará no domingo o Atlético Mineiro, vice-líder da competição. Além da boa campanha da equipe no Campeonato Brasileiro da Série A, onde está colada no G4 e invicta há seis partidas, outras situações importantes não param de acontecer no Moisés Lucarelli. A dupla de zaga titular da Macaca, formada por Ferron e Renato Chaves, já renovou contrato com o clube, o que traz uma tranquilidade maior no planejamento para 2016. Ferron comemora muito a permanência no time.

 

“Estou muito satisfeito. É um lugar que conheço muito bem e estou feliz pela equipe ter crescido na hora certa no campeonato e pela renovação. O mais importante sempre é você fazer seu melhor e estar no lugar em que sem sente bem, e eu me sinto assim aqui. Não houve muita dificuldade para definir essa situação”, afirma o defensor, que reforça o quanto o trabalho desenvolvimento pela Ponte Preta tem sido positivo.

 

“Isso comprova o futebol da atualidade. É lógico que a situação financeira e estrutura é muito importante, mas o planejamento tem que estar acima de tudo. Uma coisa leva à outra. Acho que isso foi comprovado. Com humildade, sabendo dos nossos limites. Lógico, temos jogadores diferenciados, mas o mais importante de tudo é a equipe. Enquanto todos estão focados dentro de campo, as coisas acontecem naturalmente e todos crescem. Nosso primeiro objetivo era não cair. Só que hoje estamos em uma situação onde temos que pensar diferente. Mas passo a passo, sem chamar responsabilidade para nós de maneira alguma. Temos que fazer como está sendo feito. Trabalhar durante a semana, ter a mesma determinação, mesmo foco, para que possamos pouco a pouco fazermos as pontuações necessárias”, acrescenta.

 

Ferron também faz questão de valorizar o quanto a campanha do clube é positiva e não acredita em acomodação por ter conquistado a permanência na Série A do ano que vem. “O futebol não é uma ciência exata, em que você fala que fazendo um trabalho durante a semana de um jeito, nós vamos ganhar dessa forma. Não é assim que funciona. São circunstâncias que variam a todo instante. Futebol é isso. Existem números, estatísticas dos matemáticos da maneira como tem que ser trabalhado com todos os times do campeonato, mas o mais importante é pensarmos em nós”, diz.

 

Ele completao pensamento: “Temos uma preocupação a menos hoje, que era o rebaixamento, uma carga que tinha uma responsabilidade maior. E também para o clube, pois já tem um planejamento de trabalho, do que tem que ser feito, pois sabe que vai permanecer na Série A. Quero deixar bem ciente que vamos continuar fazendo o nosso trabalho. Se vamos ter a mesma sequencia que tivemos eu não sei, mas não vamos deixar nossa maneira de trabalhar.”

 

O xerife alvinegro afirma que mantém os pés no chão sobre outros objetivos. “Ninguém vai tirar o pé. Pelo contrário. Mas temos que entender que tem outras equipes que brigam pelo seu espaço, que estão crescendo também durante a competição. Não é só a Ponte que está jogando. São 20 clubes. Tem times que estão na parte debaixo da tabela que brigam pela sua permanência, pela sua vida na competição. É um campeonato extremamente difícil para ambas as partes. É fundamental pensar jogo a jogo”, ressalta.

 

Ferron reforça que, apesar de estar chamando a atenção cada vez mais, a Macaca precisa estar focada sempre no jogo que irá disputar na rodada corrente. “Quando você chama o foco um pouco mais para você, fica um pouco diferente. As pessoas começam a nos olhar com outros olhos. E se tratando dessas grandes equipes o investimento é totalmente diferente. Então a cobrança também é outra. Quando se vê um time que de repente não tem a situação financeira, a estrutura que tem esses clubes, chegando e conquistando seu espaço, impressiona. Mas estamos fazendo com os pés nos chão. Ainda temos sete jogos e agora estamos pensando só no Atlético Mineiro e buscando fazer um grande jogo, que é o que nos interessa.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS