Fernando Bob se despede da Ponte, agradece carinho recebido do torcedor alvinegro e diz que um dia espera voltar a atuar pela Macaca

 

Foto:PontePress/FábioLeoni

 

Hoje foi dia de despedida na Ponte Preta. O volante Fernando Bob vai seguir um novo rumo na carreira, após 110 partidas com a camisa alvinegra, sendo que foram 100 como titular. O atleta agradeceu a todos que fizeram parte nessa sua passagem pela Macaca. “Quero agradecer essa torcida que sempre me apoiou, até mesmo nos momentos difíceis que tive aqui na Ponte. Sempre estiveram do meu lado e eu dei o máximo para corresponder o carinho que tiveram por mim. Quero agradecer a diretoria, que sempre fez um esforço para manter o elenco bom, e pagou os salários em dia. Sou muito grato a todos”, afirma o jogador, que não gosta de despedidas e deixou claro, que pode voltar futuramente.

 

“É gratificante para mim sair da maneira que estou saindo. Eu não acho legal despedida, porque eu não vou parar de jogar bola. Eu posso voltar daqui há algum tempo. Despedida é mais para quem vai encerrar a carreira e eu tenho muita coisa pela frente ainda. Espero voltar um dia”, revela Bob, que não esconde a satisfação em ter defendido as cores da Ponte nestes dois anos e meio de clube. “Fui feliz. Um lugar que deu uma virada na minha carreira. Cheguei desacreditado e as coisas aconteceram. Fiquei mais maduro para o futuro no futebol. Só tenho a agradecer. Joguei com muito cara bom aqui e peguei muitos treinadores bons também. Os treinadores que passaram enquanto estive aqui só somaram na minha vida. Fica difícil escalar de 1 a 11, pois atuei com grandes atletas, que me ajudaram muito”, afirma.

 

Fernando Bob também demonstra muito carinho quando o assunto é a Nação Alvinegra. “Os torcedores sempre me respeitaram muito. Isso é gratificante para nós jogadores. Quando há o respeito e o carinho, como houve comigo aqui, as chances de as coisas acontecerem são muito maiores. Saio feliz daqui por tudo o que aconteceu. Espero um dia voltar a jogar contra a Ponte e ter esse respeito e esse carinho. A torcida aqui é de massa. Cobram mesmo, o que é o normal, e apoia bastante, até em momentos difíceis no campeonato. Só tenho boas lembranças.”, ressalta o volante, que em sua passagem pela Macaca anotou cinco gols, sendo que um foi especial.

 

“Tem aquele gol que fiz contra o Veléz pela Copa Sulamericana. Lá comemorei e pude dedicar o gol ao meu filho. Foi muito importante para mim, para minha carreira, minha família. Tenho até um quadro em casa com a foto do gol. Ficou marcado aquela cena para a minha vida”, conta o ex-titular da camisa 5 alvinegra, que além do gol, relembra outro momento marcante em sua passagem no clube, que foi sua lesão no pé esquerdo, que o afastou dos gramados por alguns meses.

 

“Aquele momento foi muito difícil para mim. Não sabia o que ia acontecer. Meu pé ficou muito feio e não sabia se ia voltar 100% ou 50%. Eu via o apoio nas redes sociais, passava na rua e me desejavam sorte e boa recuperação. Graças a Deus consegui voltar bem e fizemos um grande campeonato, subindo para a primeira divisão. Foi um grande ano para todos”, recorda o jogador, que pensou sobre sua saída da Macaca e chegou a conclusão que esse seria o momento correto.

 

“Tive outras oportunidades de sair, mas preferi sempre ficar. Eu também não queria sair no meio do campeonato, pois ia ser muito difícil para a Ponte trazer outro jogador. Para a Ponte seria horrível. Hoje eu saio sabendo que deixo o clube em uma situação muito boa e me sinto mais preparado para o que vier na minha carreira”, completa.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS