Macaca se reapresenta na tarde desta quinta (31) e Gallo analisa partida contra o Corinthians ressaltando: fiquei triste e irritado com o placar, porque gosto de ganhar e fizemos uma grande partida, mas a evolução do trabalho nos traz otimismo

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/FábioLeoni

Focado em uma vitória no confronto contra o Água Santa na tarde deste sábado, o elenco pontepretano treina a partir das 16 horas no CT do Jardim Eulina. Após a derrota para o Corinthians por 2 a 1 na noite de ontem (em jogo no qual o goleiro João Carlos defendeu dois pênaltis da equipe adversária e o juiz não anotou uma penalidade para a Ponte em condição de mão na bola exatamente igual a um dos que anotou contra a Macaca), o técnico Alexandre Gallo reforça que a meta agora é pensar exclusivamente em três pontos no final de semana. “Sinto muito pelo que aconteceu ontem, mas quero dizer ao torcedor que vamos continuar lutando e recuperar muito esta equipe pro jogo de sábado.”

O treinador alvinegro avalia a partida de quarta como extremamente positiva em termos do que a Ponte demonstrou em campo. “No que combinamos taticamente a equipe respondeu bem, tivemos uma postura muito boa de uma marcação forte no meio campo e saída de contra ataque, onde sabíamos que incomodaríamos o Corinthians. Fechamos aquela bola diagonal por dentro que eles fazem  tanto com os laterais quanto com os volantes, deixamos só os zagueiros e nesse erro conseguíamos sair de traz com velocidade. Acho que fizemos um ótimo jogo, com número de finalizações boas, ainda que tenhamos pecado um pouco no final com a entrada do Nino, talvez tivesse que jogar um pouquinho mais pela direita, mas ainda assim ele fez duas boas jogadas, foi muito rápido e teve um lance em que deu tapa na bola boa pro Wellington finalizar,mas infelizmente ele não alcançou”, analisa.

Para Gallo, a Ponte teve postura boa em campo. “Fomos ao estádio para agredir o Corinthians  e ter no contrataque as chances que tivemos. Os atletas não deixaram o adversário chegar, no primeiro tempo o Corinthians conseguiu apenas uma situação no primeiro tempo e acabaram fazendo o gol, porque no lance que aconteceu após o João Carlos defender o primeiro pênalti houve uma pequena falha no nosso posicionamento e já precisamos ficar alertas porque é esse tipo de time que vamos enfrentar em todos os jogos do Brasileiro: você tem postura e está bem armado, mas  se dá uma brecha pra esse tipo de aniversário ele marca. Ainda assim, tivemos número maior de chances e podíamos ter feito mais gols e saído com resultado melhor, que seria a justiça da partida. Se for colocar justiça, a Ponte fez uma partida no mínimo pra empatar”, enfatiza.

Gallo prefere não se estender a respeito da arbitragem, mas acredita que o placar foi influenciado, sim, pela atuação do juiz. “Existiram dois pesos e duas medidas da arbitragem, é muito ruim falar disso, e acho que quem tem que comentar são os cronistas e analistas que viram o jogo, mas no meu ponto de vista houve uma situação distinta, clara, e vou resumir meu comentário a isso: a leitura do que se faz pra um lado e pro outro tem que ser igual, sempre. Ontem não foi.”

Deixando esse assunto de lado, Gallo destaca a boa produção de seus comandados. “Fico satisfeito com tudo o que a gente está fazendo na Ponte, principalmente  resposta que os atletas estão dando na leitura tática que propusemos, o que ficou claro no jogo de ontem, com o respeito que tiveram ao que foi proposto e a atitude pra jogar diante de um grande time. No geral fizemos uma grande partida e as substituições também se mostraram acertadas. O Ravanelli sentiu um pouquinho porque correu de mais, executando função de marcação que normalmente não tem, aí veio o Christian, que tem melhorando ritmo. O Nino ,com jogada tradicional que a gente treinou e ele fez certo, faltou um metro pro Wellington alcançar e marcar. Enfim, vejo um grupo de caras que entregam muito e se dedicam, todo mérito é deles e a evolução nos deixa feliz. Nas fico triste e irritado com o resultado, até porque gosto muito de ganhar e fizemos uma grande partida. Não merecíamos o placar final.”

Questionado em relação ao porquê de não ter colocado Rhayner, o comandante explica. “Ele ficou uma semana parado e já vinha com um déficit físico por ausência em parte da pré-temporada. A gente estava equilibrando isso, quando ele não treinava, a gente recuperava ele mais que os outros. Então sabia que o Rhayner seria no máximo pra um um escape de cinco dez minutos, ele treinou só cinco dias, mas o trouxemos porque ele é um jogador importante, faz parte do grupo, mas a válvula de escapefoi com o Clayson, achei que ele ficou bem enquanto suportou fazer as duas funções de marcação e chegada da área. Claro que naquele lance que ficou no mano a mano, quase entrando na área, no lugar onde ele chegou teria que chegar e definir. Até cobrei ele disso, mas achei que fez boa partida”.

O treinador explica ainda que, no segundo tempo, viu que Arana estava sentindo e optou por dar mais velocidade. “Por isso pusemos o Nino pra fazer o que ele fez, o que treinamos, tapa e bola no chão, tanto que nossos jogadores pegavam e invertiam pra ele. Deu certo, mas infelizmente o Wellington chegou um pouquinho atrasado, faltou o pezinho… Mas fomos bem taticamente, fizemos várias jogadas ensaiadas, fomos bem. Existe o resultado e o placar. O resultado foi muito bom, mas o placar não diz o que foi a partida”, pontua Gallo.

E complementa: “Quero deixar claro que não fiquei feliz, na verdade fiquei outra palavra que não posso falar aqui pra não ser mal educado, mas fiquei satisfeito com o desempenho, porque trabalhamos taticamente pra quebrar a linha de passe do Corinthians e conseguimos, os jogadores responderam bem no contrataque. Então nos enche de otimismo pelo trabalho que foi feito e a resposta dos atletas. Mas de novo, não gostei do placar, que não traduziu a partida, não poderia acontecer a derrota, fomos lá pra ganhar e trabalhamos pra isso. Então nós todos terminamos com essa dor de perder uma partida em que isso não ocorreu por falta de bom desempenho e sim em função de coisas que fogem ao nosso controle.”

Além do treino desta tarde, a Ponte faz ainda uma outra atividade derradeira antes de enfrentar o Água Santa, na sexta-feira pela manhã no Majestoso. 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS