Para Felipe Azevedo, treinos fechados na semana foram importantes pro jogo deste domingo; jogador diz que sabe trabalhar com críticas

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

A equipe da Ponte Preta realizou ao longo da semana uma série de treinos parcialmente fechados à imprensa, um expediente que até então não vinha sendo muito usado pelo técnico Guto Ferreira, mas que o comandante avaliou como importante na preparação para o duelo contra o Figueirense. O atacante Felipe Azevedo concorda com o técnico. “Em certos momentos é bom. É válido. Algumas situações precisam ser treinadas, às vezes serem escondidas das equipes adversárias. A gente era uma equipe que vinha muito em evidência no início do campeonato. Todo mundo via a Ponte como difícil de ser batida aqui no Moisés e já vinham preparados para nos marcar de alguma forma. O Guto, acho que muito espertamente, fechou os treinos para blindarmos e trabalharmos um pouco mais”, diz o atleta, que comentou sobre críticas que vem recebendo sobre o seu futebol.

 

“Estou acostumado com as críticas. Faz parte do futebol e jogador que não quer receber tem que trabalhar em outra área. É normal. Ninguém vai agradar a todos. Há atletas hoje em dia que são consagrados no futebol mundial e recebem críticas. É trabalhar para poder melhorar, agradar mais a torcida, a imprensa, o Guto, meus companheiros, para fazer um campeonato ainda melhor. Eu mesmo me cobro a cada dia para ajudar a Ponte ainda mais”, afirma o atleta.

 

Felipe também faz uma avaliação desse período de adaptação que está tendo no clube e a forma como tem atuado. “O futebol de hoje pede que os jogadores do meio para frente não apenas joguem, mas também marquem. Eu fiquei três anos no Sport e já estava mais adaptado ao que o treinador queria. Trabalhei com o Eduardo Baptista durante um ano e meio, então já tinha um entendimento um pouco maior do que tinha que fazer. Aqui na Ponte já estou entendendo o que o Guto quer. Acho que aqui também temos o Rodinei, que tem muita força e apoia bastante, contudo nosso lado direito traz um pouco mais de preocupação ao Guto, em relação a preenchimento de espaço. Às vezes tenho que atacar, mas também ajudar no esquema tático da equipe, senão fica sem equilíbrio. Aos poucos quero me soltar, fazer jogos melhores, para agradar a todos”, explica o atacante, que deseja vencer novamente fora de casa logo mais.

 

“A ideia é conseguir um bom resultado contra o Figueirense. Depois temos dois jogos em casa pra fechar esse primeiro turno com o máximo de pontos possível. É buscar o bom futebol. De toque de bola, de velocidade, porque é o que a nossa equipe sempre teve no campeonato”, diz.

 

O atleta finaliza afirmando que quer vencer pelo torcedor alvinegro. “Com uma vitória hoje eu tenho certeza que a torcida vai vir nos apoiar. Então é muito importante um bom jogo, resultado positivo, jogando solto, com tranquilidade. Apesar de ser em Florianópolis, vou tentar botar na cabeça que estamos no Moisés e com a torcida do nosso lado”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS