Felipe Moreira elogia postura dos atletas da Ponte em amistoso e diz que espírito da equipe é de luta e disposição os 90 minutos

 

Foto: PontePress/FábioLeoni

 

O técnico Felipe Moreira avaliou o desempenho dos seus comandados, após o empate da Ponte contra o Palmeiras, pelo placar de 1 a 1 nesse domingo (29). Para o treinador, foi um amistoso bem disputado e que mostrou que os atletas estão entendendo o espírito de luta que se deve ter ao vestir a camisa alvinegra. “O jogo contra o Palmeiras, na arena, criou um clima dessa disputa intensa. Nós tiramos um pouco a carga dos treinos de sexta e sábado para chegarmos aqui e ter essa disputa. Essa é cara da Ponte Preta. É isso que temos que levar e que a nossa torcida cobra e que nós também cobramos dos jogadores”, ressalta Felipe, que faz uma análise da atividade.

 

“O começo foi com um pouco de dificuldade, por ser somente o terceiro jogo-treino que fizemos. Foi uma semana intensa de trabalho. Tivemos uma carga depois do Audax, e viemos para uma disputa grande, com a intensidade que foi. A equipe lutou, diminuiu os espaços, com saída em velocidade do Lucca. Conseguimos, com o nosso trabalho, fazer a rodagem correta para todos, que é muito importante, pois tínhamos planejado um time fazer 60 minutos e o outro terminar a partida. Infelizmente teve a expulsão do João, onde tive que mexer um pouco e fazer as duas linhas de quatro, com o Ravanelli um pouco aberto. Elogio demais a postura dos atletas, que entenderam que a Ponte é um time que necessita disso”, destaca o técnico, que acrescenta.

 

“Gostei da disputa, da entrega, é claro que vamos ter erros, porque é um início de trabalho. Erramos um pouco na saída de bola, na movimentação ofensiva, na chegada da segunda bola, mas são erros que vamos corrigir e é por isso que serve esses jogos-treinos”, pontua.

 

Felipe reforça que a postura impositiva do time com um jogador a menos, durante grande parte da segunda etapa, se deve também aos trabalhos que tem sido feito na pré-temporada, que teve apenas uma pausa nessa segunda, após 21 dias de atividades.  “O importante da pré-temporada é você treinar situações. Treinamos a situação com um a menos. As duas linhas de quatro, com o Ramon que é rápido, o Ravanelli foi um pouco prejudicado, pois estava bem, mas teve que fazer a segunda linha pelo lado direito. Tanto é que no final, pela montagem que criamos, entrou o Erick para equilibrar o setor. Em uma pré-temporada conseguimos trabalhar várias situações, com um a menos, um a mais, marcar um pouco mais pressão, ou mais na linha da bola e é para isso que esses treinos servem”, explica o treinador, que elogiou bastante o jovem meia Ravanelli, ao ser questionado sobre a importância do atleta.

 

“O Rava entrou bem contra o Audax, entrou bem contra o Palmeiras, jogou bem contra o Coritiba, fez um excelente jogo frente ao Botafogo. É mais um cara muito importante no elenco. Vamos tentar entrar dia cinco com o time bem equilibrado, com disputa e que sabe o que quer”, diz Felipe, que conta com a presença da torcida pontepretana na estreia do time no Paulistão 2017.

 

“Peço para o torcedor que dia cinco todos prestigiem, nos ajudem, porque a Ponte Preta é uma só: comissão técnica, jogadores, torcida, diretoria. Isso que é o mais importante. Só vamos conseguir o objetivo que queremos se estivermos unidos, com a cabeça virada para frente, remando todos para o mesmo lado”, completa.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS