Técnico Felipe Moreira analisa equipe após jogo-treino contra o Audax e faz projeção positiva para Ponte no Paulistão

 

Foto: PontePress

A Ponte Preta realizou mais um jogo-treino como parte da sua pré-temporada, nesta quarta-feira (25). Desta vez o adversário foi o Audax, que venceu a atividade por 2 a 0. Apesar do resultado, o técnico Felipe Moreira explicou que a carga de treinamentos nesse período é desgastante e que o objetivo, nessa construção da equipe que está sendo realizada nesse mês de janeiro, é fazer com que o time apresente um bom futebol na estreia contra a Ferroviária, dia 5 de fevereiro.

 

“Mantivemos a base do ano passado, mas ainda não está definido quem é titular ou reserva. Lógico que se constrói em cima de uma base, como foi contra o Independente de Limeira, quando ganhamos de 2 a 0. Nós vamos construir o time nesses três amistosos. Hoje em dia nós não trabalhamos de forma isolada a parte física. É tudo integrado. Nós viemos de uma carga muito grande com bola, e de força, que é muito bem feito pelo Luis Fernando. Lógico que isso dificulta um pouco o jogo", diz.

O treinador mais uma vez rodou o elenco durante a partida. "Foram só 45 minutos com cada time. Não tem 90 minutos, com estratégia e que se pode fazer alterações. Mas estamos com uma base, vamos construir em cima dela e iremos observar todos os jogadores. No dia-a-dia nós vamos conhecendo os atletas, mas nas partidas vamos construindo a equipe, porque o importante é dia 5 contra a Ferroviária”, afirma.

O técnico reforça a importância de dar chance à todos nesse processo de formação de time. “Nós precisamos conhecer quem chegou e vir eles nos jogos é importante. Quero deixar claro que ninguém gosta de perder. A derrota faz parte e temos que melhorar. Mas vamos ver todos os atletas, para no dia 5 entrar com quem achamos serem os melhores para a partida”, diz Felipe.

Ainda sobre o jogo-treino contra o Audax, apesar do placar, Felipe destaca alguns pontos positivos. “Foi muito boa a participação do Ravanelli, que saiu da beirada e veio jogar por dentro, que é a característica dele e conseguiu trabalhar dessa forma. O Jeferson foi muito bem do lado esquerdo. O Ravanelli fez quatro passes em profundidade para o Jeferson e o Naldo também treinou bem. Foram duas equipes equilibradas, com um ou outro destaque, e temos que ver todas as situações para elaborar o time para o amistoso contra o Palmeiras”, enfatiza Felipe Moreira, que valoriza o trabalho feito pelos seus comandados.

 

 

“Nós vemos a dedicação desse grupo. Nessa terça fizemos um treino pela manhã que exigia muita velocidade e eles treinaram no limite. Na parte da tarde voltamos ao campo para trabalhos de posicionamento e a dedicação é total da rapaziada. Fizemos um jogo-treino difícil contra o Audax. Ninguém gostou do resultado, mas se vê que os atletas foram no limite. Os jogadores estão em uma carga de trabalho muito grande. Essa dedicação será vista lá frente que valeu a pena”, confia.

E é com esse espírito confiante, que Felipe está certo de que o time vai disputar o Paulistão com grandes objetivos. “A Ponte vai entrar muito forte. Estamos trabalhando diariamente para fazer um grande Campeonato Paulista. Estamos com o pensamento já na Ferroviária, depois na classificação, porque queremos chegar longe. O torcedor pontepretano pode ter certeza que a Ponte vai entrar com muita vontade querendo vencer o Campeonato Paulista”, ressalta o comandante pontepretano, que se vê não apenas motivado, mas pronto para conduzir o time na busca pelo título.

“Eu me sinto preparado para isso. E se a diretoria me deu oportunidade é porque também confia. E tem grandes profissionais que trabalham na Ponte Preta hoje e não é a toa que tem feito grandes campanhas nos últimos anos. Me sinto preparado, muito feliz com o convite e a torcida pontepretana pode ter certeza que vamos fazer o possível para chegar longe em todos os campeonatos que vamos disputar”, reforça.

Apesar de jovem, Felipe Moreira já está há vários anos no futebol e o jogo-treino dessa quarta-feira (25) o uniu novamente com um antigo amigo. “Começando o amistoso, eu estava conversando com o Fernando Diniz e com o Wendel. Os dois trabalharam comigo no Cruzeiro em 2004. Eu já era auxiliar do Cruzeiro em 2004 e os dois já estavam no meu time”, revela o treinador, que busca dialogar com todos do grupo.  

“O meu jeito de lidar com as pessoas é de conversar com todos, independentemente se é um cara mais novo ou mais experiente. Se todos estiverem virados para o mesmo lado, pensando a mesma coisa, nós vamos ter um campeonato melhor. Imagina se quarenta cabeças estiverem pensando e não só duas ou três. Todos no mesmo objetivo e direção. Tenho certeza que estamos nesse caminho e vamos fazer um grande campeonato”, acredita.

Para a conquista dos objetivos que o treinador tem traçado, o papel da torcida é fundamental. “Todas as grandes campanhas da Ponte foram quando a torcida estava do lado. Eu lembro quando em 2009 ganhamos o Título do interior, que não é de expressão, mas quando voltamos de Barueri e chegamos no estádio tinham umas seis mil pessoas. Uma festa tremenda. É muito importante a torcida estar junto com o time, torcendo, empurrando, porque só vamos conseguir grandes coisas aqui se estivermos juntos. Espero o apoio da torcida nesse primeiro jogo, da imprensa, que é muito importante, porque se formos bem, vai ser bom para todos”, pontua Felipe, que no comando na beira do gramado, tem buscado a melhor formação tática para a equipe.

“Temos um sistema definido, que veio do ano passado, que é o 4-1-4-1. Fizemos o primeiro amistoso, contra o Independente, no 4-3-3. Hoje repetimos o 4-1-4-1, mas estamos treinando também no 4-2-3-1, até para que, se eu precisar ter alguma troca, todos já tenham participado e saberão o que irão fazer”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS