“Aprendendo” inglês, Rodinei ressalta que elenco deve se focar no trabalho e não dar ouvidos a especulações do mercado da bola

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

Entra ano e sai ano e a história se repete: a cada véspera de competição surgem nomes que supostamente sairão e outros que supostamente chegarão ao elenco. A especulação corre solta e os times, agindo com responsabilidade e cautela, só confirmam situações quando elas estão definidas, independentemente do que se diz antes dentro e fora da mídia. Mas como isso afeta os jogadores pontepretanos, que estão trabalhando duro pensando apenas no Brasileiro da série A e na continuidade da Copa do Brasil?

“Isso não afeta a gente. Todo ano é mesma coisa, em qualquer time que seja: especulações de quem vai chegar, quem vai embora… Eu faço o meu trabalho, meu contrato é até o final do ano com a Ponte Preta e o resto tem que deixar com o Gustavo Bueno (gerente de futebol alvinegro) que ele resolve”, diz o lateral Rodinei, colocando uma pedra no assunto.

Para o jogador, assim como seus colegas, o que tem que ser levado a sério é o real: a preparação para as competições, que não está sendo nada fácil. “Pra gente é complicado só treinar e não ter jogo, chega um momento em que enjoa, porque o que nós jogadores queremos mesmo é jogar,concentrar…mas é importante , porque teremos uma maratona pela frente: EUA, Maranhão, Porto Alegre um atrás do outro. Então temos que nos dedicar e focar pra estarmos bem”, afirma.

Para Rodinei, o empenho não só nos treinos como fora deles é fundamental para se dar bem na odisseia que vem pela frente. “A gente tem que dormir, descansar e se alimentar bem para diminuir o impacto desta maratona. Somos muito exigidos, mas alimentação e sono são fundamentais para recuperar isso”, afirma o atleta, revelando que esta será sua segunda viagem internacional como jogador de futebol.

A primeira, como atleta do SUB20 do Corinthians, foi para o Peru. Na ocasião, o atleta se virou com o “portunhol”. Agora, porém, revela que está estudando inglês e, no melhor estilo Rodinei de ser, revela como andam os estudos. “Quero chegar nos Estados Unidos e fazer bonito, então estou estudando para ficar cada vez melhor. O que eu já aprendi? Não aprendi nada, ué, porque estou aprendendo. E só dizer bom dia, boa tarde e boa noite não vale, é muito fácil”, brinca.

Falando sério, porém, Rodinei – que assim como os demais atletas alvinegros gravou um vídeo na língua nativa do Orlando City (que em breve será editado com mensagens dos jogadores estadunidenses falando em português e divulgado pelos dois times) -afirma acreditar ser possível aprender qualquer língua. “Hoje em dia na da é difícil, basta não ser preguiçoso e estudar, treinar como fazemos com as jogadas e os fundamentos em campo. Mas o que já aprendi é segredo. Vou falar no momento certo”, desconversa, entre risadas.

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS