Eduardo Baptista destaca concentração e maturidade da equipe para virar a partida contra o Sport e afirma que quer Ponte com força total para encarar o Figueirense pela Copa do Brasil

Crédito obrigatório para reprodução:
RodrigoCeregatti/PontePress

Com a vitória de virada contra o Sport no Majestoso na noite de ontem e a aproximação ao G4 confirmada, o torcedor pontepretano tem razões para comemorar. Com 23 pontos, a equipe já soma quatro partidas sem derrota, com três vitórias seguidas. O técnico Eduardo Baptista, porém, é enfático: vai curtir só nesse domingo a posição da equipe na tabela entre os melhores do campeonato, pois a  partir de segunda isso é passado e há mais trabalho a se fazer.

“No Campeonato Brasileiro você tem pelo menos 12 equipes com condições técnicas e principalmente financeiras para ser campeão. E você invadir essa área é muito bom. Tudo isso é fruto de muito trabalho, seriedade e pés no chão. Agora é saborear, mas segunda-feira é mais trabalho e é bom trabalhar com vitória para que a gente continue nesta caminhada difícil”, explica.

O comandante da Macaca destaca o trabalho realizado com todo o elenco. “Quando eu faço um trabalho, eu trabalho um elenco e não uma equipe. Todos os jogadores são importantes. No dia a dia é o mesmo treinamento com a equipe que vem jogando e a que não vem jogando. É um grupo forte. Eu posso até errar na escalação, mas eu tento fazer justiça e ser honesto com eles. Não vou acertar sempre. E só com trabalho eles vão ganhando a posição deles”, enfatiza.   

Baptista conta que alertou a equipe sobre as dificuldades da partida contra o Sport no sábado, apesar da posição na tabela do adversário. “Nós enfrentamos uma equipe muito qualificada. Pedi para não olharem a posição na tabela. Foi uma partida muito difícil, muito veloz, com grandes jogadores. A gente sabia que ia ter dificuldades. Pedi atenção e concentração. Somos um time que briga demais e sabe o que fazer em campo", pontua.

Na opinião dele, porém, a Macaca ainda tem espaço para melhorar. "Falta bastante para achar aquele time ideal, mas na Série A nem sempre você vai ganhar com qualidade técnica ou o melhor esquema. Temos que ser um time de garra e isso já temos, esse é o espírito que a gente quer aqui”, frisa.

O treinador elogia também a postura da equipe em termos de foco. "Ontem tomamos o gol quando estávamos melhores. Continuamos focados, fomos para cima e conseguimos o empate e depois a virada em um jogo tão difícil. O amadurecimento precisa ser destacado. Chegar no G4 pra nós dá uma satisfação, mas não pode ter é empolgação", aconselha.

Eduardo diz que, agora, a situação física da equipe será avaliada, mas que pensa em ir com o melhor a disposição para enfrentar o Figueirense pela Copa do Brasil, no meio da semana – a partida, fora de casa, está marcada para o dia 13 de julho (quarta). “Vamos com força total na Copa do Brasil. Se observarmos algum desgaste, vamos avaliar, mas a ideia é ir forte e vencer.".

O treinador finaliza lembrando, mais uma vez, da lição que ficou a derrota para o Cruzeiro em casa. "Aprendemos com as derrotas. Não importa como você caia, importa como você se levanta. Aquelw 4×0 não vou esquecer até o dia 5 de dezembro. Ele tá guardado para não ter nenhum tipo de conforto. E eu faço questão de usar isso para termos humildade e pés no chão. É muito complicado se levantar depois de uma derrota como aquela”.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS