Diego Sacoman prega reação rápida no Paulistão e afirma que é preciso superação e coração na ponta da chuteira

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToledo

O último resultado adverso da Ponte Preta no sábado (15) acendeu o sinal de alerta do elenco que, após três vitórias seguidas, acabou perdendo duas em sequência. Para o zagueiro Diego Sacoman, um dos mais experientes do grupo alvinegro, a equipe precisa reagir o quanto antes e voltar ao caminho vitorioso de poucas semanas atrás.

“É difícil explicar. Fizemos dois grandes jogos contra Corinthians e São Paulo e deixamos escapar contra equipes de menor expressão. Temos que manter os pés no chão, sabendo que ainda estamos na briga. Estamos há dois pontos do São Bernardo. Perdemos duas partidas que seriam importantes, mas temos que buscar contra o Linense”, afirma o zagueiro.

Ele acrescenta que, independentemente dos obstáculos, a Ponte pode e deve superar os desafios que tem pela frente. “Vai ser um jogo difícil amanhã e sabemos das dificuldades que temos encontrado na competição. Mas temos que superá-las com vitória. Não tem outra alternativa a não ser ganhar”, afirma o zagueiro, que concorda com a cobrança do técnico Vadão aos atletas após as últimas derrotas.

“O Vadão é o nosso comandante e sabe o que está falando. Temos que correr mais. Precisamos ganhar e encontrar uma forma de isso acontecer. Tem que ser transpirando, correndo e nos doando mais. Colocando o coração na ponta da chuteira”, diz Sacoman.

Para o zagueiro, detalhes tem impedido a Ponte de sair com resultados melhores nos últimos jogos. Segundo ele a equipe tem evoluído na competição e que logo vai voltar aos trilhos novamente.

“Temos criado e não é por falta de pontaria que os gols não têm saído. Nós temos que procurar fazer o máximo de criação para ter essas oportunidades. As estatísticas que o Vadão passou para nós é que antes eram quatro finalizações por jogo e hoje já saltou para 16. Temos uma evolução muito grande. É início de temporada e acho que estamos no caminho certo”, crê o jogador.

Ele  finaliza dizendo que está confiante na classificação da Macaca para a próxima fase e se apoia nos números para defender este pensamento. “Estamos dentro das nossas expectativas, dentro das mini-metas que o Vadão e o Venditti, nosso matemático, passou para nós. A Ponte Preta está na briga ainda. Dentro daquilo que procuramos dentro do campeonato e tem muito ainda para fazer, que se arrumar ainda. Não chegamos no nível e temos muito o que melhorar. Mas estamos com 50% e se ficarmos com 55% de aproveitamento nós nos classificamos. Parece pouco e não é, mas é possível e ainda temos muito trabalho pela frente para conseguir nossos objetivos.”

 

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS