Novo xerife da Ponte, “zagueiro-zagueiro” Diego Ivo diz que quer fazer história no clube e afirma que para ele não tem bola perdida

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/ThiagoToledo

O zagueiro Diego Ivo, que chegou para vestir a camisa da Ponte em 2015, se define como um “zagueiro-zagueiro”: o foco do jogador é defender o time, sem preocupações em marcar ou não gols para ser “zagueiro-artilheiro”, e ele diz estar com muita vontade de vencer pelo clube, onde acredita que está se formando um elenco forte para a disputa dos campeonatos desse ano.

“Sou, sim, um ‘zagueiro-zagueiro’. Tenho minhas qualidades ofensivas, mas minhas limitações também. Então vou fazer o que o professor determinar para mim, sem muita brincadeira. O objetivo é não tomar gols, dar meu melhor e que possamos fazer uma grande temporada. Vamos chegar bem longe”, afirma o jogador, que está confiante.

“Minha expectativa é muito boa, espero fazer uma boa campanha e ajudar a equipe da Ponte Preta a conquistar um título inédito. Estou muito feliz, quero corresponder à confiança depositada em quem me trouxe para cá. Espero que seja um ano maravilhoso para todos nós, que esse casamento de certo. E quero conquistar. Meu maior pensamento é conquistar na Ponte Preta e fazer história”, diz.

Diego Ivo afirma ter vindo para o clube por conta do planejamento apresentado a ele. “Eu sabia da qualidade dos jogadores que vieram para cá, acredito no projeto que está sendo montado para esse ano. Foi muito bem apresentado a mim. A equipe será muito competitiva. Combina bem com meu estilo de jogo, que é de muita raça e muita determinação. Acho que vai dar certo. Vim com esse intuito de ajudar.”

Sobre suas características, Diego Ivo reitera que seu futebol é de força física e usa isso ao favor. “Tenho muita raça. Comigo não tem bola perdida. Para eu me definir é difícil. Mas quero mostrar isso dentro de campo, quando tiver oportunidades, vou procurar mostrar meu futebol. Tem que ter essa pegada e, mais do que falar, tenho que fazer o que o professor pede e que meu porte físico ajude nesse começo de campeonato”, espera Diego, que também conta com o apoio da massa alvinegra.

“A torcida empurra o tempo todo. Sei da força que ela tem e isso é um fator positivo. Normalmente, quando o jogador não está bem dentro de campo a torcida cobra, e isso às vezes ajuda. Gosto do apoio da torcida, que joga junto. Que eles possam nos apoiem até do início até o final”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS