Ponte treina na manhã desta terça-feira no CT Jardim Eulina e técnico Dado Cavalcanti fala sobre preparação do time no período de inter-temporada

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

O elenco da Macaca treina na manhã desta terça-feira no CT do Jardim Eulina e o técnico Dado Cavalcanti tem buscado extrair o máximo do seu grupo nesse período de preparação. Para o treinador, os trabalhos partem de onde o time parou antes da Copa do Mundo, mas mudanças devem ser naturais.

“Eu iniciei de onde paramos, é a base da equipe que finalizou a competição, com a saída do César e a entrada do Luan. A partir daquele ponto inicial é que fui fazendo algumas experiências. Penso fazer outras, com outros jogadores que por ventura não jogaram tanto. Até porque, nessa retomada, o diferencial pode ser o rodízio de jogadores. Estamos em duas competições e na Copa do Brasil, por exemplo, o Gilvan, o Élton e o Bryan não vão poder jogar. Então é necessário contar com todos do grupo e durante os treinamentos vou fazer essas experiências”, afirma Dado, que vê nessas alterações até espaço para jovens promessas da base alvinegra, como Francis, Jeferson, Cita Jr. e Hugo, que vem treinando entre os profissionais.

“Futebol é momento. Talvez o meu ponto de vista seja outro e talvez o momento dos jogadores seja outro. Não posso perder o tato e principalmente o feeling e a percepção de avaliar o que está sendo feito nos treinamentos. Temos alguns jogadores da base que subiram e logico que estão sendo observados. Se mostrarem qualidade vão jogar. Existe a perspectiva da vinda de novos jogadores, que obviamente trarão outras opções, e a possibilidade mudança é por conta disso: da valorização de momento”, diz.

O treinador, que ressalta que atletas mais jovens, se mostrarem qualidade, vão entrar em campo. “Sem dúvida pretendo usar jogadores da base. É só uma questão de confiança e tem que ser mútua, diga-se de passagem. Eu preciso passar confiança para os atletas, mas eles precisam me dar a confiança necessária para que eu os escale. Futebol não tem idade, tem qualidade. Se o jogador demonstrar qualidade necessária para jogar, vai entrar”.

Dado Cavalcanti também salienta o que busca nesse período só de treinamentos e o que tem observado do atual grupo de trabalho. “Nosso objetivo é elevar os níveis técnicos, físicos, trazendo um pouco mais de informação na questão tática para esses jogadores. Lógico que sempre esbarramos numa limitação natural de cada atleta e por isso a preocupação em trazer jogadores que possam acrescentar ainda mais qualidade ao grupo.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS