Suspenso para partida deste domingo (03), Ferron participa do treino deste sábado com a equipe e se integrará ao grupo em Florianópolis para segundo jogo contra o Vélez

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

 

Titular da zaga pontepretana, Ferron não poderá contribuir com o seu futebol na partida deste domingo (03), contra o Criciúma. O defensor tomou o cartão vermelho na partida contra o Vasco e cumpre suspensão. Mesmo assim, o atleta diz que vai torcer de longe pelos companheiros, que junto com ele fazem o último treinamento neste sábado (02), em Campinas, antes de irem para Santa Catarina.

“É diferente torcer à distância. Não estarei dentro de campo e, estando fora, acabo ficando até mais nervoso. Mas tem que torcer sempre. Quem entrar vai dar conta do recado. Demonstramos ao longo do campeonato, principalmente nesta reta final, nesta correria de Sul Americana e Brasileiro com jogos até mesmo em 48 horas, que o grupo se fortaleceu para essas competições”, afirma o zagueiro, que acredita que a equipe já esqueceu a partida diante do Vélez Sarsfield e está com o foco total na fuga do rebaixamento.

“Sabemos que agora vira a página: é outra competição, ainda mais se tratando desta evolução que tivemos nos últimos jogos, com essa ascensão que nos possibilita sair dessa situação. Temos confronto direto contra essas equipes e o mais importante é fazer um bom jogo acima de tudo. Fazer um jogo seguro, não entrar em desespero pela situação que nos encontramos e pelo resultado que temos que buscar. Tenho certeza que se fizermos o que temos feito nos últimos jogos, vamos fazer um grande jogo em Criciúma e conquistar os três pontos”, acredita Ferron.

Mesmo no momento difícil que a equipe vem passando, o defensor diz que sempre mostrou confiança no potencial da equipe e que ela poderia se livrar da zona de perigo do Brasileiro. “Sem sombra de dúvidas eu acreditava que poderíamos melhorar no campeonato. Como sempre falo: se há 1% de chances, vamos lutar por isso. Até pouco tempo atrás, muitos davam como certo o nosso rebaixamento. Agora as opiniões estão mudando e isso demonstra o que estamos fazendo dentro de campo. Sabemos que tem muita coisa pela frente ainda. Estamos em uma situação delicada, mas o grupo tem qualidade e potencial. Não era para estarmos nessa situação, mas temos tudo para sair dela”, diz.

O zagueiro, além de tudo, superou as dores para estar à disposição do técnico Jorginho. “Estou tranquilo. Houve uma entorse no tornozelo direito, no jogo contra o Vasco. Até mesmo antes do jogo de quinta contra o Vélez eu era dúvida. Fiquei tratando, fazendo tudo o que tinha que ser feito. Senti um pouco de dor, mas era suportável, uma dor tranquila. Nesse jogo em Criciúma vou ficar torcendo pelos meus companheiros, pois estou suspenso, mas tenho certeza que quem entrar vai dar conta do recado e vamos fazer um grande jogo”, afirma Ferron que, se neste duelo de domingo não poderá estar em campo, para o confronto diante do Vélez Sarsfield na Argentina já está querendo seu lugar.

“Vou fazer tratamento até sábado e, se não me engano, na segunda-feira eu me encontro com o pessoal lá em Florianópolis para treinar com o foco total no jogo da Copa Sul-Americana”, finaliza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS