Uma manhã inesquecível: o dia em que o melhor do mundo treinou no Majestoso

Crédito obrigatório para reprodução das fotos:
PontePress/DJotaCarvalho

A manhã deste 12 de junho de 2014 ficará gravada na mente das dez mil pessoas que testemunharam o treino da Seleção Portuguesa no estádio Moisés Lucarelli e que viram de pertinho o melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, em pleno gramado no Majestoso.  Foi um dia repleto de emoção e cenas inesquecíveis e que começou bem cedo, logo às 5 horas, quando os primeiros repórteres e caminhões de link já se posicionavam no entorno do estádio e as ruas eram impedidas. Também junto com o sol nascente já chegavam os primeiros ambulantes, carregados de bandeiras e adereços das seleções brasileira e portuguesa.

Os ônibus trazendo alunos de escolas da cidade também chegaram antes das 9, horário em que a maioria do público já enchia as ruas e entrava nas arquibancadas, em meio a um colorido de camisas e de muita alegria de torcedores de todas as idades, entre os quais muitas crianças . Com a torcida animada e muitos gritos de guerra disparados principalmente pela plateia feminina e infantil tendo Cristiano Ronaldo como tema, os jogadores da Seleção Portuguesa entraram em campo pontualmente às 10h30.

Caminharam até o centro do campo e estenderam uma faixa agradecendo a cidade, o que aumentou ainda mais os aplausos vindos das arquibancadas. Depois deram início a um trabalho de aquecimento e dividiram-se em dois grupos. Cristiano Ronaldo, que chutou uma bola ao gol enquanto caminhava para o canto do campo e balançou as redes no Majestoso, ficou fazendo um trabalho em separado com outros atletas, enquanto outro grupo disputava partida em campo reduzido.

Se por um lado no início os comentários e a atenção eram mais focadas em CR7 – com direito a comentários e observações como a de que o jogador era o único que puxava as barras dos shorts para cima, exibindo mais as pernas que os demais – de outro a atenção ao treino era grande, com direito a comemorações quando um dos goleiros fez grande defesa impedindo um gol “que nem mesmo Pelé fez” ou quando um belo gol foi marcado.

Cerca de uma hora e meia depois, CR7 começou a deixar o gramado quando uma torcedora invadiu o campo e foi retirada pelos seguranças. Depois, acompanhada da mídia, a mesma invasora foi levada até o craque, que a presenteou com uma camisa e um beijo no rosto. Diversas outras camisas foram distribuídas entre os torcedores, que aplaudiram intensamente os portugueses ao fim da atividade – não antes de um menino também driblar a segurança e ganhar a atenção e o carinho de um dos goleiros lusitanos. Também antes do final, uma bandeira da Ponte Preta foi estendida no gramado.

Terminada a atividade, as ruas no entorno do Majestoso mais uma vez ficaram coloridas e cheias de camisas de Brasil e Portugal, mostrando literalmente a união que se viu dentro do estádio. Uma união que já faz de Portugal o segundo time no coração de quem mora em Campinas e que marcou um dia inesquecível para o torcedor pontepretano: o dia em que o melhor jogador do mundo pisou no gramado do primeiro time do Brasil.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS