Com uma rodada para o fim do Brasileiro, Guto Ferreira destaca: eu espero e confio que ainda é possível e vamos ganhar o título

 

Crédito obrigatório para reprocução da imagem: PontePress/DJota Carvalho

 

A equipe da Ponte Preta vai ter o domingo e a segunda-feira de folga, retornando aos trabalhos somente na terça-feira (25). Essa será a última semana de trabalho do time em 2014 antes de encarar o Náutico no sábado (29) pela última rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A Macaca está em segundo lugar na tabela e, com dois pontos de desvantagem para o Joinville, a briga pelo título ainda está em aberto.

O treinador Guto Ferreira garante que ele e o grupo ainda acreditam nessa conquista. “Eu não desisti até aqui e não vai ser agora que vou jogar a toalha. Se existe uma chance matemática vamos lá buscar. Se não conseguirmos contra o Náutico, não vamos mais conseguir. Vamos fazer o mesmo que fizemos a competição toda, acreditar que é possível e trabalhar para tudo acontecer. Ficamos pelo menos oito rodadas ganhando e não entrando no G4. Nesse momento, não temos que nos preocupar com o que vai acontecer em Itápolis. Ao final do nosso nós vamos olhar para Oeste e Joinville. Queremos terminar a competição de cabeça erguida. Eu espero e eu confio que ainda é possível e vamos ganhar o título.”

O comandante alvinegro faz questão de mandar um recado para o torcedor e não deixar esquecer a grande campanha que a Ponte realizou até aqui no Brasileiro. “O torcedor pode estar revoltado, mas aqui ninguém é máquina, somos todos seres humanos e trabalhadores. Uma coisa que nós nunca deixamos de fazer foi trabalhar, de entrar em campo e nos doar, nos entregar de corpo e alma. Nesse jogo faltou muita coisa, mas não faltou disposição, vontade, entrega, honra e respeito pela camisa da Ponte. Nesse momento nós não podemos esquecer tudo o que a equipe já conquistou, o principal objetivo do ano foi alcançado com o acesso e ainda temos chances de conquistar o algo a mais”, afirma Guto Ferreira.

O treinador ainda aproveita para comentar sobre a atuação do time na última partida diante do América Mineiro. “Este foi o terceiro jogo seguido em que fazemos um primeiro tempo bom e no segundo, devido ao resultado, começamos a ter ansiedade de ir buscar e começa a ter uma correria, perder padrão e se desorganizar. Foi assim que perdemos para o Joinville, desperdiçamos muitas chances contra o América de Natal e esse último foi o pior de todos. O jogo foi lá e cá e eu pedia para parar a bola e acalmar, mas isso não acontecia. Quando você entra nessa correria acaba se desgastando mais e não consegue mais correr atrás do adversário”, finaliza Guto Ferreira.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS