Com show da Base, Ponte se despede da torcida e do campeonato com vitória de virada sopor 3 a 2

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

 

A Ponte Preta saiu atrás, mas com um show de bola dos atletas formados na Base (seis chegaram a estar em campo simultaneamente), virou o jogo e venceu o Coritiba por 3 a 2 na última partida do ano. Com gols de Josiel, Leo Naldi e Pedrinho, a Macaca se despediu da torcida marcando três pontos e dorme na décima posição da tabela.

“Foi meu primeiro gol como profissional. Kleina acreditou no meu trabalho e consegui virar o jogo. Minha expectativa pra 2022 é grande e espero poder dar alegrias ao torcedor da Ponte Preta”, diz Pedrinho.

Agora, o técnico Gilson Kleina e atletas saem em férias e a nova direção alvinegra, que deve ter a presidência definida na próxima segunda-feira, irá definir o planejamento do futebol para 2022. A Ponte volta a campi pelo Paulistão 2022, no final de janeiro do ano que vem, enfrentando na primeira rodada o Palmeiras, na casa do adversário.

O jogo

A Ponte teve um começo difícil de jogo, com o adversário marcando gol logo aos dois minutos, em cabeceada forte que Ivan espalmou, mas acabou no fundo das redes. A Macaca foi para reagir logo aos cinco, em lances seguidos Kevin – cortado pela defesa – e Marcelo Hermes, que acabou saindo. Aos 12, Moisés chutou após passe de Matheus Anjos, mas a defesa tirou.

Aos 26, Moisés bateu falta com muita força e estilo, mas o goleiro adversário se esticou para espalmar. Aos 28, Léo Naldi desarmou jogada pela linha lateral, carregou a bola na diagonal e chutou, mas o camisa 1 adversário pegou. Aos 29, quase sai o empate: Moisés aproveitou erro de sápida do oponente, ficou cara a cara com o goleiro e chutou, mas o arqueiro fez bela defesa.

Aos 30, Marcelo Hermes foi parado com falta que parou o contra-ataque alvinegro. A Macaca estava em um momento melhor, mas os visitantes acabaram ampliando aos 34, fazendo dois a zero. Aos 42, Moisés fez boa jogada pela esquerda, entrou na área e chutou firme, mas o goleiro defendeu. Aos 44, nova chance alvinegra: Moisés arrancou pela esquerda e tocou para o meio da área. Thalles pegou de primeira, mas a bola saiu por cima do gol.

Aos 45, Thalles teve nova chance, mas ela saiu em linha de fundo e, no minuto seguinte, Moisés fez jogada pela esquerda e cruzou, mas Josiel não alcançou. No segundo tempo, porém, o camisa 19 não perdoou. Felipe Albuquerque cruzou da direita e Josiel cabeceou para o fundo das redes aos seis minutos. 2 a 1.

Aos 11, a Macaca empatou. Matheus Anjos cruzo, a bola desviou e Léo Naldi tocou no cantinho do gol adversário. 2 a 2. Aos 16, Moisés passou pela zaga e cruzou na pequena área, mas ninguém concluiu. Aos 22, Matheus Anjos foi lançado na área e cruzou. A bola bateu em jogador adversário e a Macaca pediu pênalti, mas o juiz considerou a jogada normal.

Aos 28, Matheus Anjos cobrou falta e a bola passou pertinho do travessão. Aos 35, veio a virada. Após lance da Macaca no campo de ataque, a bola sobrou para Pedrinho, que mandou uma bomba da intermediária e marcou um golaço. 3 a 2.

A Ponte queria mais e quase ampliou. Aos 39, Moisés tirou tinta do travessão. Aos 43, André Luiz bateu colocado e quase fez o quarto. Aos 50, no último lance, Moisés  bateu cruzado, mas o goleiro adversário fez bela defesa.

Ficha do jogo

Ponte Preta: Ivan; Kevin, Felipe Albuquerque, Gustavo Cipriano (Douglas Mendes) e Thiago Lopes; Marcelo Hermes (Jean Carlos), Léo Naldi, André Luiz e Matheus Anjos (Lucas Cândido); Thalles (Pedrinho), Moisés e Josiel. Técnico: Gilson Kleina.

Coritiba: Alex Muralha; Natanael, Wellington Carvalho, Luciano Castán e Guilherme Biro; Matheus Sales, Gustavo Bochecha (Dalberto), Waguininho (William Alves) e Igor Paixão (Vinícius); Biel (João Vitor) e Léo Gamalho. Técnico: Gustavo Morínigo.

Gols: no primeiro tempo, Wellignton Carvalho marcou aos dois e Igor Paixão (aos 34) , para o Coritiba; no segundo tempo, a Ponte marcou com Josiel (aos seis), Léo Naldi (aos 11) e Pedrinho (aos 35).

Arbitragem:  Leirson Peng Martins apitou, com Mauricio Coelho Silva Pena e Flávio Roberto Mineiro Ribeiro como assistentes. O quarto árbitro Flávio Roberto Mineiro Ribeiro.

Cartões amarelos: Wellington Carvalho, Igor Paixão, Guilherme Biro, Luciano Castán (Coritiba), Marcelo Hermes, Gustavo Cipriano, Léo Naldi (Ponte)

Público Pagante: 1928  – Público Total: 1970

Renda: R$ 23.930,00

Jogo válido pela 38ª rodada da série B, disputado no Majestoso

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS