Com gols de Lucca e Ribamar, Ponte vence a Ferroviária de virada e dorme na segunda posição

Foto: Raul Ramos/Ag. Paulistão

 

A Ponte Preta saiu atrás no placar em Araraquara, mas empatou já no primeiro tempo com Lucca e, na etapa complementar, o estreante Ribamar marcou o segundo e selou o placar: 2 a 1 para a Macaca. O resultado, que quebrou uma invencibilidade de 23 jogos do time de Araraquara em casa, faz com que a Macaca durma na segunda posição do grupo D.

A equipe do técnico Gilson Kleina agora tem sete pontos, três a menos que o líder Bragantino, e aguarda o jogo de amanhã do Santos para saber se terminará a rodada na vice-liderança.

“Estou muito feliz de voltar a jogar e vencer fazendo gol, é muito gratificante para mim. Jogador da minha posição precisa muito disso para ganhar confiança e agora vamos focar para enfrentar o São Paulo em casa”, diz o atacante Ribamar, autor do gol da vitória.

A Ponte volta a campo contra o São Paulo, em partida marcada para às 18h30 deste domingo (13) no Majestoso – os ingressos já estão à venda pelo Futebolcard, com inteiras a R$ 30 no Setor Organizadas, R$ 50,00 na Arquibancada e R$ 80,00 na VIP.

O jogo

Os donos da casa começaram pressionando, com Bruno Mezenga mandando uma bola na trave logo aos três. No minuto seguinte, o mesmo Mezenga derrubou Wesley quando o pontepretano iniciava ataque. Aos oito, a Ferroviária abriu o placar em lance de bola parada. Gegê levantou a bola na área pela meia direita e ela quicou, enganando Ygor e entrando no ângulo.

A Ponte foi para cima no minuto seguinte com Fessin, que chutou para o gol, mas o goleiro adversário defendeu. Aos 11, Lucca passou por três marcadores e foi derrubado. Kevin levantou a bola na área, mas a zaga cortou. Aos 16, Léo Santos passou para Kevin, que cruzou para o meio da área e Pedro Júnior tentou bater de primeira, mas não conseguiu finalizar.

Aos 18, Fessin armou boa jogada e Kevin chutou, ganhando escanteio. Fessin cobrou e Léo Santos cabeceou, a bola raspou em Correia e saiu em novo escanteio. Na cobrança, Fessin mandou na entrada da pequena área e Lucca cabeceou mandando a bola para o fundo do gol adversário, num golaço. 1 a 1.

Aos 23, quase Pedro Jr virou o jogo. Guilherme Santos fez boa jogada pela esquerda, passou pela marcação e cruzou para trás, mas no chute do camisa 11 a bola saiu mascada. Três minutos depois, bom lance de Léo Naldi, que chegou ao fundo do campo adversário e ganhou escanteio.  Fessin cobrou na área e Léo Santos tentou cabecear, mas a bola apenas raspou na cabeça do pontepretano e saiu pela l ateral.

Aos 30 minutos, Ygor Vinhas fez duas brilhantes defesas. Primeiro, pegou chute forte, de fora da área, de Bruno Mezenga. Na sequência do lance, após bate e rebate na área, Orejuela matou no peito, girou e disparou À queima roupa do camisa 1 alvinegro, que espalmou para o alto e agarrou em seguida.

Aos 36, mais uma vez Ygor fez uma defesa excepcional, dando uma ponte para defender uma bomba chutada por Gegê. Os donos da casa faziam muita pressão para chegar ao gol no final da etapa inicial, mas a Ponte se segurou, em especial graças a boas defesas do camisa 1 alvinegro – foram pelo menos três: aos 37, 41 e 42.

Aos 47, porém, quase a Ponte virou o jogo. Kevin cobrou falta, levantando na pequena área para Fabrício cabecear, mas o goleiro Saulo defendeu e, de imediato, o juiz marcou o final do primeiro tempo.

A Ponte começou o segundo tempo no ataque, mas não encontrava espaços no sistema defensivo da Ferroviária.   Quando os donos da casa atacam, porém, encontravam uma defesa mais fechada da Macaca.

Aos 12, Mezenga parou ataque de Léo Santos com uma falta dura, recebendo cartão amarelo. Aos 16, Wesley se aproveitou de saída errada da Ferroviária e chutou contra o gol, mas a bola explodiu na defesa. Aos 23, escanteio para Macaca : João Pedro, que acabara de entrar, cobrou fechado na área, mas a zaga tirou.

Aos 34, Lucca avançou pela esquerda e esperou Ribamar ficar em posição legal para lançar o atacante por trás da zaga, mas o bandeira assinalou impedimento de maneira equivocada.  Na sequência, João Pedro dominou a bola no bico da área após receber de Lucca e recebeu falta. O camisa 9 tocou ajeitou para a batida de Fabrício. A bola resvalou na barreira e sobrou na cara do gol para Ribamar balançar as redes. O bandeira anulou equivocadamente, mas o VAR corrigiu o equívoco e confirmou a virada. 2 a 1.

No lance seguinte, a Ferroviária reclama de toque de mão e pediu pênalti, mas o VAR confirmou que não houve nada. Os donos da casa ainda tentaram chegar ao empate, mas não conseguiram passar pela defesa pontepretana e o juiz apitou o fim da partida aos 51 minutos.

Ponte Preta: Ygor Vinhas; Léo Santos, Thiago Lopes e Fabricio; Kevin, Wesley (Moisés Ribeiro), Léo Naldi (André Luiz), Fessin (João Pedro) e Guilherme Santos (Jean Carlos); Lucca e Pedro Junior (Ribamar). Técnico: Gilson Kleina.

Ferroviária: Saulo; Bernardo, Bruno Leonardo e Didi; João Lucas (Vidal), Thomaz, Uillian Correia (Tony) e Rafael Luiz; Gegê (Gleyson Caveirão), Orejuela (Murilo Rangel) e Bruno Mezenga (Tcharles).  Técnico: Elano

Gols: Bruno Mezenga, aos oito, Lucca aos 20 do primeiro tempo.  No segundo tempo, Ribamar aos 37.

Arbitragem: Yhiago Lourenço de Mattos apitou, com os assistentes Neuza Inês Back e Paulo Cesar Modesto. O quarto árbitro foi Alceu Lopes Júnior e o VAR ficou a cargo de Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral.

Cartões amarelos: Léo Naldi, João Pedro (Ponte); Bruno Mezenga (Ferroviária)

Público: 1.391

Renda: R$ 20.865,00

Partida disputada pela quinta rodada do Paulistão, no estádio Fonte Luminosa, em Araraquara

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS