Chateado com derrota, Kleina destaca: “Em Araraquara precisamos ter agressividade e intensidade”

Foto: Mauro Horita/Agência Paulistão

 

Depois de uma ótima vitória em casa, diante da torcida, uma derrota amarga fora de casa. Nem é preciso dizer que o jogo contra o São Bernardo deixou uma impressão ruim e o sentimento de indignação diante de algo que, pelo que a Macaca havia mostrado no Majestoso contra o Novorizontino, poderia – e deveria – ser evitado. Não à toa, o técnico Gilson Kleina quer que o confronto da manhã de sábado seja lembrado como um exemplo do que não pode mais acontecer.

“Nosso time estava muito moroso, principalmente no primeiro tempo. Não queríamos esse comportamento. Criamos uma boa expectativa contra o Novorizontino, mas ontem não estávamos conectados com aquela postura, não fomos uma equipe viva, com atitude. Nos dois gols que tomamos, demoramos para reagir e não conseguimos fazer nosso futebol entrar e nem executar da maneira que gostaríamos . Agora é dar confiança aos atletas para termos um comportamento diferente contra a Ferroviária, com agressividade e intensidade”, afirma.

GK complementa: “Ontem estivemos abaixo de como vínhamos atuando, mas a responsabilidade é minha, não posso canalizar a pressão em cima dos atletas: a cobrança é inevitável na derrota, mas precisamos saber conviver com ela e passar tranquilidade aos jogadores. Claro que o resultado é importante, mas temos que ter em mente que fizemos a quarta rodada e neste momento tem um ou outro time mostrando consistência, geralmente quem começou o trabalho em dezembro tem tirado vantagem na parte física. Independentemente disso, temos de olhar para frente e buscar soluções.”

O treinador avalia um pouco mais a derrota de sábado. “A gente errou muito passe, roubava a bola e entregava para eles na sequência. Nossa equipe toda esteve abaixo e estamos analisando inclusive a questão física em virtude do intervalo pequeno entre os jogos, temos de ter a leitura de se esses atletas conseguiram recuperar no seu todo, porque fizemos um bom jogo na quarta, mantivemos a estrutura, mas não tivemos o mesmo comportamento”, avalia.

Ele acrescenta que é preciso avaliar com exatidão tudo que ocorreu e buscar a solução para que a situação não se repita. “A reflexão é não esconder nossos erros, nossa conduta, nosso comportamento para que, se a gente não tiver no melhor dia, temos um grupo, um elenco para poder rodar. Estamos conhecendo melhor o elenco e a recuperação de cada jogador, tudo isso vale um estudo e um debate entre a comissão técnica, mesmo porque é um campeonato curto, que precisa somar ponto. Então nesse primeiro momento é jogar para somar ponto, para depois ter um time consistente e mais regular”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS