Um gol de placa: Fernando Bob recebe dos Macacos de Valinhos homenagem pelo “chapelito” e o gol que fez contra o Vélez Sarsfield e que garantiu a vaga nas semifinais da Sul Americana, há exatamente um ano

Crédito obrigatório para reprodução das fotos:
PontePress/DJotaCarvalho  

“Tão falando que eu nunca faço gol, mas quando faço, ganho placa”. Com estas palavras repletas do bom humor que sempre mostra em campo e fora dele, o volante Fernando Bob recebeu das mãos dos torcedores Macacos de Valinhos uma placa em homenagem ao “chapelito” dado na partida contra o Vélez Sarsfield em 7 de novembro de 2013, que consolidou a vitória da Ponte em Buenos Aires e garantiu a vaga nas semifinais da Copa Sul Americana.

“O golaço maravilhoso de Fernando Bob embalou a torcida da Ponte em Buenos Aires durante toda a madrugada, que ficou tomando cervejas Quilmes e comemorando o replay dos dois gols nos bares do lado do Obelisco. Durante a madrugada, tivemos a oportunidade de encontrar o ônibus dos jogadores na avenida e fazer uma grande festa que durou poucos segundos,  mas foi o bastante para ser inesquecível. O encontro na rua foi antológico e de absoluta emoção, surpreendendo inclusive os jogadores e a comissão técnica. A Polícia argentina que escoltava o ônibus não esperava tamanha ousadia da torcida, que invadiu a pista quando viu o rosto dos jogadores da janela do ônibus. A madrugada foi intensa e cantamos muito sobre o chapelito dele, que é relembrado e homenageado por todos do grupo até hoje. Um sentimento de gratidão pelo momento histórico e incrível”, conta Guilherme Gabrieli, um dos lideres da torcida que foi criada justamente durante a competição.

“O Macacos de Valinhos surgiu durante os jogos da Copa Sul-Americana e do Campeonato Brasileiro. É um grupo de amigos que moram ou trabalham na cidade de Valinhos e que nos jogos da Ponte em Campinas se encontram no alambrado próximo do meio-campo. O grupo também serve para fretar vans ou organizar caronas para assistir jogos da Ponte Preta fora do seu estádio. Em 2014, notamos que o grupo tinha mais de 30 integrantes e decidimos confeccionar o primeiro lote de camisetas além de elaborar uma marca visual. Mas já naquela partida contra o Vélez,, no Estádio José Amalfitani, pintamos de forma artesanal a primeira bandeira do grupo. Conseguimos ir com dez integrantes e pendurar a nossa bandeira no alambrado. Tiramos foto junto com o ídolo Dario Gigena e presenciamos um dos jogos mais saborosos da vida da Ponte”, diz.

Gabrieli revela que a placa foi pensada quando Fernando Bob se machucou em maio, para animar o jogador durante a sua recuperação. “Felizmente ele se recuperou antes e fortaleceu a campanha da Ponte na série B. Mas esperamos que seja um estímulo para o acesso, o título e para ele ficar na Ponte, sabendo que a torcida inteira gosta muito dele e do futebol dele em campo”, finaliza.

O homenageado Fernando Bob afirma que a placa irá para a sala da casa dele, onde ficará ao lado de uma foto daquele mesmo lance, enquadrado pela esposa do jogador. “Ela me deu de presente e essa placa vai pra parede também. É muito bom receber esse tipo de carinho da torcida e espero poder trazer muito mais alegrias para a Ponte”, enfatiza.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS