Macaca treina em dois períodos neste sábado e, apesar de não ser fã de concentração, zagueiro César exalta preparação da Ponte e revela intenção de se firmar como titular da equipe em 2014

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/GuilhermeDorigatti

A equipe da Ponte Preta entrou em regime de concentração no começo da semana e permanece assim até a próxima terça. Neste sábado, o time sai do hotel para treinar e almoçar no Majestoso, retorna à concentração, volta à tarde para novo treino e jantar para na sequência se concentrar de novo. O zagueiro César diz que ficar longe da família e com restrições de saída, apesar de não ser legal, faz parte da vida do jogador de futebol.

“Estamos acostumados com esse regime de concentração. Ano passado ficamos bastante e faz parte. Quem joga futebol tem que ficar concentrado e faltam só mais alguns dias para voltarmos a estar perto de casa e da família, então é tranquilo. Temos que passar por essa dificuldade, de ficar longe de casa e treinamentos debaixo desse sol forte que está em Campinas, para mais para frente ter só alegrias”, afirma o atleta, que exalta o trabalho do técnico Sidney Moraes e as mudanças que o comandante da Macaca tem implementado.

“O trabalho do Sidney é muito bom e diferente para nós. Ele mudou taticamente o time e eu não tinha jogado desse jeito ainda, como é tudo novo temos que nos adaptar da forma que ele joga. É um pouco mais difícil porque não estamos acostumados a correr tanto, mas estamos nos preparando bem para isso. E acho que, pelos treinamentos que estamos fazendo, estamos assimilando muito rápido o que ele tem pedido a nós e vamos estar prontos para fazer uma grande estreia”, diz.

O zagueiro foi um dos grandes nomes da Ponte na zaga alvinegra, mas segundo ele, a Ponte tem que esquecer o que passou na Copa Sul-Americana e focar na atual temporada. “Temos que focar no Paulistão porque é o primeiro campeonato de 2014. Vai chegar algumas peças e virão para somar. No Paulista temos que fazer um bom começo e focar muito para que não repita o que aconteceu ano passado no Brasileirão”, diz o atleta. Ele acrescenta ainda que, mesmo com o final ruim para a Macaca na competição internacional, guarda com carinho a participação no torneio.

“Pra mim fica um orgulho de ter disputado a Sul-Americana. Nunca tinha disputado um campeonato assim. Para mim foi algo de positivo. E ser o sexto time do Brasil em 2013 não é para qualquer um. Ainda mais a Ponte Preta, que teve gente falando que nós éramos virgens, conseguimos dar a volta por cima e fazer quem falou mal da Ponte engolir”, afirma César.

Para esta temporada o atleta entra com um status maior daquele que começou na Ponte Preta em 2013, após vir do Atlético Sorocaba, contudo não quer o rótulo de líder do grupo sozinho. “Todos têm que ser líderes dentro de campo. O capitão só entra no gramado para escolher o lado do campo e a bola. Quando o juiz apita todos tem que mostrar liderança para que o jogo possa ser bem feito, as coisas possam acontecer e possamos sair com a vitória”, explica o defensor, que deseja fazer mais gols este ano.

 “Se pintar um brechinha lá na frente eu vou descer. Fiz um gol só ano passado e tenho que fazer dois esse ano. Tenho que me cobrar. Não dá para ficar na mesma. Se eu ficar na mesma eu não jogo”, afirma o atleta, que não esconde a intenção de se firmar como titular da zaga alvinegra nesta temporada.

“Com treinador novo ninguém tem moral. Tem que mostrar no dia-a-dia. Estou procurando trabalhar firme todos os dias e se me der uma chance eu vou agarrar desde o começo. Ano passado eu não consegui chegar e jogar. Tive que esperar uns três meses para me adaptar e depois sim ter uma sequência. Mas esse ano eu quero ser diferente. Começar de titular e se conseguir, terminar o ano como titular. Eu sei que é difícil, mas temos que criar metas nas nossas vidas”.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS