Cento e cinquenta vezes Aranha: goleiro alvinegro completa marca histórica neste domingo (12), quando a Macaca enfrenta o São Paulo no Morumbi

Fotos:PontePress

No jogo contra o Campinense, na última quarta, foram pelo menos três defesas fundamentais. Defesas que se somaram a um histórico impressionante que inclui desempenhos inesquecíveis como o das semifinais contra o Guaratinguetá em 2008, quando ele foi uma verdadeira muralha, e a tantos outros lances onde ele mostrou técnica, garra, desempenho e amor pela camisa. Afinal, quando pisar no Morumbi na tarde deste domingo (12), para enfrentar o São Paulo a partir das 17 horas, o goleiro Aranha estará completando 150 jogos com a camisa da Ponte Preta.

“Estou muito feliz com esta marca e vou rumo aos 200 jogos com a camisa da Ponte. Quando cheguei no ano passado de volta ao Majestoso, de volta a minha casa, já disse que esperava que 2017 fosse um ano muito bom para o time e lutar muito pra conquistar o título tão esperado por todos nós, pontepretanos. Este é meu sonho e meu objetivo na Ponte”,diz.

 Aranha destaca como melhor momento que deve na Ponte o gol defendido contra o Guaratinguetá, aquele de 2008. “Eu vinha de time B, tinha jogado quarta, quinta divisão no Paulista, sentado muitos jogos no banco antes de começar a jogar como titular, e a partir daquele momento ali qualquer dúvida que tinham sobre o meu nome caiu por terra e as pessoas começaram a me  ver com outros olhos”, relembra.

Nesta atual passagem pela Ponte,Aranha diz estar mais experiente e mais maduro. E, acrescenta, faz questão de continuar jogando bem e representando a Ponte, seu time de coração. “Por todos os clubes em que passei a bandeira da Ponte sempre foi comigo, nunca escondi isso de ninguém”, pontua.

Nascido Mário Lúcio Duarte Costa, em 17 de novembro de 1980 na cidade de Pouso Alegre-MG, Aranha ganhou o quando treinava na escolinha de futebol da cidade natal. O então treinador Ailton Custódio o comparou ao goleiro soviético Lev Yashin, o famoso Aranha Negra,e a partir dali o apelido pegou. Para a Ponte, veio em 1997 e começou nas categorias de Base. A partir do ano 2000, subiu para o profissional, onde se consagrou em 2008 – as brilhantes defesas do arqueiro fizeram com que ele fosse eleito o melhor goleiro naquele ano.

No ano seguinte, Aranha levantou o troféu de Campeão do Interior com a Macaca, mas em 2009 acabou deixando o clube, rumo ao Atlético-MG. Depois, defendeu o Santos entre 2011 e 2015 e também teve uma passagem pelo Palmeiras naquele mesmo ano. No dia 6 de agosto de 2016, durante a comemoração dos 116 anos da Ponte, a volta do goleiro foi anunciada e já muito comemorada pelos mais de mil pontepretanos que estavam no local.

Aranha chegou e já vestiu a camisa 1 em definitivo, dando continuidade há uma história que agora soma nove anos e meio de time. Com 1m93 de altura e fã de Racionais MC, que em 2008 costumava ouvir no túnel de acesso ao campo para se concentrar, Aranha também é ativista contra o racismo e tem três enteados: Gabriel e os gêmeos Vitória e Bernardo – este último segue os passos dele, quer ser goleiro profissional e desde pequeno adotou o apelido de “Aranha Júnior”.

Para comemorar o marco, Aranha entrará em campo logo mais, a partir das 17 horas no Morumbi, com o número 150 na camisa. O jogo é válido pela segunda rodada do Paulistão – na rodada inicial, a Macaca venceu a Ferroviária por 1 a 0 e o adversário foi superado pelo Audax, por 4 a 2. A partida terá transmissão pela TV Globo, Pay-per-view, rádios FM 99,1 e AMs 1170 e 870; e webradios Macacada Reunida, PonteNews e aplicativo Alberto César.

.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS