Câmara Municipal homenageia nesta terça o pontepretano Miguel do Carmo, primeiro negro a jogar futebol em time profissional no Brasil

Vereadores concedem honraria in memoriam, que será recebida pelo filho do jogador.

A Câmara Municipal de Campinas concede na noite desta terça a maior honraria municipal do esporte ao pontepretano Miguel do Carmo, que além de ser um dos fundadores da Ponte Preta, em 1900, foi também jogador do time alvinegro. A história de Migué, como era conhecido, dá ao time de Campinas o título de Primeira Democracia Racial do Futebol Brasileiro, visto que foi a primeira equipe de futebol profissional onde o preconceito não teve vez.

"Miguel do Carmo nasceu três anos antes da abolição da escravatura e, em uma época onde havia muita discriminação, foi fundador da Ponte ainda adolescente e jogador da equipe. É um reconhecimento importante da cidade e nos dá força para a campanha que estamos fazendo junto à Fifa, buscando uma homenagem a Miguel na abertura da Copa do Mundo de 2014", diz o conselheiro pontepretano Carlos Burghi, que é um dos líderes do movimento.

"A Ponte é o primeiro time do Brasil fundado como equipe de futebol e em funcionamento ininterrupto. Entre os jovens que a fundaram tínhamos quatro negros e dois mulatos, e um deles se tornou jogador do primeiro time da Ponte Preta após a sua fundação em 11 de agosto de 1900, que era o Miguel do Carmo, conhecido e chamado na época por Migué.", reforça o historiador da Ponte Preta, professor José Moraes dos Santos Neto.

Na cerimônia de entrega do Título Mérito Desportivo José Salvucci, marcada para às 20 horas de hoje no plenário municipal, Miguel – que faleceu em 1932 – será representado pelo filho, Geraldo do Carmo, que está com 86 anos de idade. A cerimônia é aberta ao público. "Estamos convidando os pontepretanos a estarem presentes e prestigiar esta bela homenagem", finaliza Burghi.

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS