Ponte já voltou ao Brasil nesta manhã e parte do elenco se prepara para viajar na terça (4) pela Copa do Brasil, enquanto outros já focam no Brasileiro da série A; Cajá diz que Macaca vai mostrar a cara e fazer um bom campeonato

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

A delegação pontepretana que viajou para o amistoso com o Orlando chegou por volta das 7h30 desta segunda (4) em Campinas. O foco agora é dividido e, enquanto parte do elenco pensa no jogo contra o Moto Club na noite de quarta (estes jogadores selecionados pelo técnico Guto Ferreira treinam hoje já viajam amanhã à noite para o Maranhão), outra parcela dos atletas – os que estiveram nos EUA –  se reapresenta amanhã e já foca na estreia pelo Brasileirão da série A contra o Grêmio em Porto Alegre, neste final de semana.

“Queremos mostrar a cara e fazer um bom campeonato”, diz o meia Renato Cajá. O jogador acredita em um desempenho eficiente da Macaca e destaca que o time vai trabalhar duro para fazer um bom campeonato. O jogador também se diz feliz por ter voltado a marcar gols de falta – o que ocorreu na partida contra o Orlando City, neste último sábado.

“Já tinha passado da hora de sair um golzinho desse, aconteceu e saiu bonito, o goleirão nem olhou. Infelizmente perdemos o amistoso, mas pudemos ver um pais novo, um estilo de jogar diferente, e saímos de lá mais preparados pra um grande campeonato que é o Brasileirão”, pontua.

Sobre a partida em Orlando em si, Renato elogia a experiência de enfrentar um time em ascensão e em uma liga nova no mundo. “Nós encaramos como uma preparação, entramos com confiança, pegamos um time com estilo diferente, que soube dar o bote na hora certa para vencer. Fica também aí uma lição, pois nós também podemos fazer isso quando necessário, jogar na casinha o tempo todo e sair no contrataque para fazer gol.”

O meia faz questão de resssaltar o que viu de positivo na partida. “Achei até que fomos muito bem, imaginava que  por causa do piso do campo ia ser pior. O fato de ser grama artificial nos trouxe dificuldade de descer, mas soubemos dominar maior parte do jogo. Sofremos dois gols em minutos derradeiros, mas temos que aprender com isso, treinarmos ainda mais bola parada para que isso não ocorra mais. Temos que consertar para que não aconteça no Brasileiro, afinal nossa mente era fazer esse trabalho para se preparar. Por isso, inclusive, o Guto deixou o time titular mais tempo em campo para pegar mais parte física. Resumindo, viemos fazer um bom jogo e fizemos, mostramos uma cara boa, de um time qualificado, que quer vencer.”

O jogador esclarece ainda que deixou o campo em virtude de câimbras e não teve nenhum problema maior. “Todos sentimos dores nas panturrilhas . Por causa do campo sintético, o pé dói, pega a panturrilha e começa a dar câimbra, mas foi só isso. Sofremos um pouco, mas voltamos agora à realidade do Brasil pra nos focarmos em boas campanhas na série A e na Copa do Brasil.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS