Em regime de concentração, Cafu destaca a convivência com os companheiros, fala sobre competição no videogame e diz: vamos voltar com ainda mais vontade

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem: PontePress/Guilherme Dorigatti

 

Os treinos desta inter-temporada da Ponte Preta estão intensos. Os jogadores estão vivendo a rotina de sair para o treino direto da concentração e depois voltar para o hotel, mas o atacante Cafu não reclama e acha necessário.

“É obrigatório. Essa inter-temporada que estamos fazendo, antes da volta ao Brasileiro, boa parte dos clubes da Série A e Série B estão fazendo também. Mas está sendo bom e agora é só esperar para o reinício do campeonato”, diz o atleta, que durante o período dentro do hotel procura ficar ligado nos jogos da Copa.

“Assistimos sempre os melhores jogadores do mundo. Não tem como não ver a Copa. Eu olho muito os atacantes. É o que observo mais, porque é onde jogo dentro de campo. E vamos aprendendo com esses grandes atletas”, diz Cafu, que destaca alguns pontos que tem observado das seleções que disputam a competição.

“É impressionante o contra-ataque rápido que os times tem feito nesta Copa. A recomposição que eles fazem também, para parar um contra-ataque. Isso está sendo observado por nós jogadores e pelo nosso técnico”, afirma o atacante, que vai buscar aplicar o que tem visto dentro de campo e deixa um recado para o torcedor pontepretano ter confiança na equipe.

“Digo aos torcedores que vamos voltar com mais vontade do que tivemos no primeiro turno. Vamos nos dedicar mais. Não estou dizendo que faltou no começo, mas agora está começando a afunilar e vamos voltar mais focados e um time diferente, agredindo mais na marcação”, acrescenta.

Convivência com os companheiros

Cafu foi um dos últimos a chegar no elenco alvinegro, mas parece que encontrou uma família na Ponte Preta. Para o atleta, a boa convivência é fundamental. “No futebol, se não tiver resenha não evolui dentro de campo. É saudável. Se não tiver isso o grupo não chega ao topo do campeonato”, ressalta o jogador, que mostra um carinho muito grande por um dos parceiros de ataque, Alexandro.

“Eu vou falar a verdade para vocês. Eu passei por alguns clubes e nunca vi um cara tão engraçado como o Alexandro. Esse daí ganha de todos. Se você acorda triste, é só conversar com ele, que seu dia acaba sendo o melhor da sua vida. Ele deixa sua autoestima lá em cima. O Alex é um cara impressionante como pessoa”, revela o atleta, que também destaca o quanto tem aprendido com os mais experientes do grupo.

“Eu aprendo muitas coisas não só dentro de campo, como fora também. Como eu sou um moleque ainda, tenho 22 anos, o que eles passam de experiência para mim, eu vou levar para o resto da vida. É uma gratificação imensa estar jogando com esses grandes jogadores”.

Videogame

Em um destes momentos de descontração, principalmente na concentração, jogos de videogame sempre chamam a atenção dos atletas. Principalmente os de futebol. Mas nessa categoria quem conta vantagem é Alexandro.

“Eu sou o melhor. Coloco todo mundo no bolso. São todos patos. O Edno é mais ou menos. Estão todos no mesmo pacote. Ele, Daniel, Cafu…são farsas”, brinca o camisa 9, que parece não ter a opinião compartilhada pelos seus parceiros.

“Eu nunca vi o Alexandro jogar. Ele fala que joga muito, mas eu nunca vi. Quem vai melhor no videogame é o Edno, o Daniel, que tem uma grande rivalidade. Eu não sou muito de jogar”, explica Cafu.

Edno completa a resenha: “O Cafu joga sim e só toma goleada contra mim. Ele está mentindo. O Alexandro está na segunda divisão do videogame. Ele está no Play2 ainda, está longe do Play4”, diz, rindo.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS