Gerente de Futebol Gustavo Bueno cobra mudança de postura e afirma: não estamos contentes, assumimos a responsabilidade, mas temos que superar o início difícil e dar uma satisfação positiva pra torcida

Foto:PontePress/GuilhermeDorigatti

Diretoria, comissão técnica, gerência de futebol, treinador, torcida e os próprios jogadores. A opinião é unânime: o futebol apresentado pelo time no Campeonato Paulista está aquém do esperado e é preciso mudar. “É evidente que não estamos contentes, estamos chateados, esperávamos que as coisas acontecessem de outra maneira. Temos que entender que o time passou por um  processo de transformação muito grande, perdemos seis pilares – sete contando o Cristian, que está machucado. E não aconteceu no tempo que imaginávamos voltar a dar liga  e ser a equipe compacta e coesa do ano passado”, admite o gerente de futebol Gustavo Bueno, já completando: “Temos que assumir responsabilidade, todos nós, mas agir para fazer as coisas encaminharem, mudarmos postura, mudar atitude.”

Na opinião de Gustavo, o time precisa de uma vitória para buscar tranquilidade e equilíbrio. “Estamos cobrando, temos agora seis jogos, cinco deles em casa. Temos que ser sinceros: não encaixou, mas a culpa não é só do Vinicius, o Gustavo também faz parte, eu fiz as contratações, e tivemos muita coisa inesperada na pré-temporada. O Ferrugem machucou, o Rhayner teve duas lesões, o Wellinton Paulista, João Vitor e outros atletas chegaram depois, isso tudo acabou prejudicando a preparação da equipe. Mas isso não é desculpa ou justificativa: temos que voltar a jogar bem e reencontrar a vitória. O tempo de encaixe não aconteceu, temos que buscar soluções, dar confiança aos atletas. Ambiente bom é ambiente de vitória, a vitória vai dar ânimo e força. Estamos em um começo difícil, temos que superar isso e dar satisfação positiva pra torcida.”

Ele reforça que acredita no time e que o técnico Vinicius Eutrópio ainda tem condições de acertar a equipe. “O Vinicius é uma pessoa séria e estou satisfeito com o trabalho dele, mas futebol se analisa por trabalho e resultado, e o resultado não está acontecendo. Como disse, é culpa do Gustavo, do Vinicius, dos atletas, mas tem situações que contribuíram com isso. Contudo, tenho responsabilidade e assumo. Fico chateado, claro, mas tenho que ser cobrado, entender e respeitar a críticas. Faço as coisas com a maior tranquilidade possível, honestidade e sempre pensando na Ponte Preta, mas também erro e ser cobrado por isso faz parte. Só quero que confiem no meu trabalho: vim pra cá em 2014, fizemos a melhor campanha da série B, ano passado fizemos bom Paulista e Brasileiro, e podem ter certeza e convicção que as coisas vão caminhar e resposta virá”, afirma.

Reforços

Gustavo conta que a Ponte está atrás de atletas para encorpar e fortalecer o time, em especial um meia e um zagueiro. “O meia é difícil encontrar um de nível no mercado que venha jogar. Ano passado, no Brasileiro, trouxemos vários e só Christian correspondeu. Estamos buscando, inclusive no mercado internacional, porque precisamos de uma opção, Vo inicius mudou até o sistema porque não tinha ninguém. Tentamos Gabriel Xavier, Arthur Maia, Alan Mineiro, mas não foram liberados. Continuamos tentando nomes que vão nos dar uma resposta positiva em campo”, diz.

Em relação ao recém-chegado goleiro César, Gustavo relembra que o principal objetivo da Macaca era a renovação com Marcelo Lomba. “Tentamos ao máximo, e havia interesse do jogador e do agente em o Lomba ficar aqui, mas Bahia não quis nem ouvir. Quando não deu certo fomos atrás de outros nomes, como o Valter, mas são goleiros com contratos mais longos e não conseguíamos trazer. Começamos, por entender a necessidade, a monitorar o mercado e vimos que o César seria interessante. Um atleta que de 24 anos jogou 18 partidas como titular no ano passado, inclusive contra a Ponte, e foi muito bem. Talvez não tenha ainda uma bagagem muito grande, mas pode dar resposta boa, todos profissionais do meio falam bem dele”, diz.

Ele acrescenta ainda que o lateral Reinaldo também vem com potencial para fortalecer a equipe. “Respeito todas as opiniões, mas é um atleta que jogou mais de 100 jogos como titular pelo São Paulo. Temos que ter em mente que muitas vezes um jogador que não está sendo bem aproveitado em um time pode render muito bem em outro: o Marcos Rocha, por exemplo, teve uma passagem pela Ponte e foi execrado, saiu daqui pro futebol mineiro onde teve excelente atuação e depois pra seleção. Acredito que o Reinaldo tem potencial pra render bem na Ponte.”

Gustavo finaliza dizendo que acredita e vai trabalhar forte para que o time engrene o mais rápido possível. “Nunca afirmamos que ganharíamos título, pois ninguém pode afirmar isso, mas falamos que a Ponte iria brigar pelo título, pois um time com o nível e a tradição que a Ponte tem hoje tem que brigar pelo titulo. Isso gera expectativa grande, mas temos que pensar grande sempre. Estamos em processo de reformulação e por isso este começo foi mais difícil que imaginávamos, mas repito, isso não é desculpa nem justificativa. Temos que superar tudo e dar uma satisfação positiva pra torcida”, conclui.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS