Eduardo Baptista comemora conquista dos 45 pontos no Brasileirão, se emociona com a torcida e diz que agora é hora de conversar com atletas para traçar novas metas na competição

 

Foto:PontePress/FábioLeoni

O técnico Eduardo Baptista comemorou muito o resultado de 3 a 0 da Ponte sobre o Santa Cruz na noite desse sábado (16). Para o técnico, que valoriza a todos pelo trabalho, a vitória faz com que o clube atinja a primeira meta estabelecida e permite que novos objetivos sejam traçados. “Entregamos o projeto de 2017 para a Ponte e essa era a nossa grande meta, a manutenção era importante. Com o aporte financeiro que a Ponte tem, confirmar a permanência é para dar os parabéns aos jogadores, comissão técnica, diretoria e para a torcida, que deu um show ontem. Fazia tempo que não via a torcida como nesse jogo. Agora é descansar e na terça-feira falar com os jogadores e fazer as contas para estes sete jogos, planejar e tentar buscar até onde conseguirmos”, afirma o treinador.

Baptista faz uma análise da partida contra os pernambucanos na noite de ontem. “O Santa Cruz não se abdica de jogar em nenhum momento. Tivemos dificuldades em encurtar eles, o jogo contra o Vitória pesou para alguns jogadores e ficamos morosos no primeiro tempo. Mesmo assim criamos chances reais de gol, contra nenhum perigo do Santa Cruz. No segundo tempo conseguimos adiantar a marcação  com o Galhardo, tiramos os espaços dos meias do Santa articularem e a partir do primeiro gol os espaços se abriram”, diz.

O técnico enfatiza que a goleada merece ser comemorada. “Construímos uma grande vitória e ficamos felizes pelo resultado. Fico feliz pelo Roger, que vive um grande momento da carreira e com quem trabalhei em quatro oportunidades. Parece um menino, liderando a equipe. Muitos pontos positivos para a Ponte e vamos em busca de um grande objetivo para nós”, reforça o comandante.

Eduardo se emociona ao falar sobre a Nação Alvinegra, que empurrou a equipe com mais de 10 mil torcedores presentes no Majestoso. “É de arrepiar. Foi até maior que contra o Atlético. A torcida abraçou e é importante ela voltar. A torcida Ponte é de uma raiz muito simples, muito pobre. O preço de ingresso hoje custa muito para o torcedor pontepretano. É pesado. Que bom que a Ponte, junto com a Federação Paulista, fez essa promoção e conseguiu trazer esse torcedor que não tem condições. E aí quando vem é fantástico. Se eu falar mais eu vou chorar”, ressalta, com a voz embargada.

Com a permanência na Série A assegurada matematicamente, Eduardo pensa na possibilidade de conquistar uma vaga na Libertadores. “Tivemos momentos de muita concentração e deixamos de lado o assunto Libertadores. Até hoje. Agora é o momento de saborear. Vamos observar a rodada, ver a pontuação, sentar terça-feira com a rapaziada , com a diretoria, para fazermos as contas e tentar fazer o melhor. Temos três jogos em casa, mas vamos lutar e buscaremos com todas as suas forças. É difícil, tem times bons brigando, mas prometo para a torcida que até o jogo contra o Coritiba aqui a Ponte vai brigar até o último fio”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS