Eduardo Baptista valoriza empenho da Macaca contra o Botafogo e quer fechar Brasileirão com vitória no Majestoso

Foto:PontePress/FábioLeoni

A Ponte Preta retornou a Campinas com um empate na mala com o Botafogo em 1 a 1, conquistado na noite de sábado no estádio adversário, e o treinador Eduardo Baptista quer uma vitória na última rodada da competição, no próximo final de semana no Majestoso – a Macaca enfrenta o Coritiba no domingo (4). “Estamos há dois pontos de fazer história, alcançando a maior pontuação do clube em pontos corridos. É uma marca importante, para uma equipe que tem um investimento pequeno, uma folha de pagamento baixa e luta contra gigantes dentro Brasileiro”, diz.

O treinador compara as duas campanhas. “No ano passado a Ponte fez 51 e temos condição de fazer 53 pontos com uma vitória, o que nos colocaria com a melhor campanha, que foi regular e honrosa dentro da competição”, diz o treinador. No mesmo jogo, o atacante Pottker – que marcou o gol de empate ontem –  terá chance de conquistar a artilharia do campeonato.  Sobre a partida contra o time carioca, por sinal Baptista acredita que o time se empenhou em busca do resultado positivo e mesmo com um a menos (após expulsão de Clayson jogou melhor que o adversário.

“Foi um time que brigou, que lutou, que entrou em campo com brio. Sabia que só com luta conseguiria o resultado. Um time que jogou bola, mesmo com um a menos teve o controle da partida e as melhores chances. Mostramos equilibrado e conseguimos dar a volta por cima dentro da partida, a equipe se reinventou e por muito pouco não saiu com o resultado positivo”, afirma o comandante, que destaca o trabalho de jovens atletas do elenco.

“É uma juventude que está amadurecendo. Ontem entrou o Jeferson, um garoto de 19 anos, o próprio Ravanelli, o Matheus e o Clayson também é um menino, apesar de estar mais tempo jogando. É importante eles darem essa resposta para nós. Fomos ao Rio com objetivo e fomos bem. Enfrentamos um time que vem bem no campeonato, que marca forte, joga, tem um mando de campo interessante e meninos suportaram bem, tiveram personalidade para jogar e ir para cima do Botafogo”, diz.

Baptista comenta ainda a expulsão de Clayson, por reclamação, após ter sofrido pênalti não marcado pelo árbitro. “Foi pênalti, mas não pode se desesperar. Temos um elenco extremamente jovem e tendo muitos jovens acontecem momentos intempestivos. É um garoto. Vamos conversar com ele, vinha fazendo talvez sua melhor atuação no campeonato, bem dentro da partida, e perdeu a cabeça. É normal, é jovem, vai amadurecer, mas o bom é que a equipe não sentiu a perda. Pelo contrário. Ganhou força, teve volume e conseguiu neutralizar o Botafogo e criar lances de finalização”, ressalta.

O treinador valoriza o placar. “Foi um empate justo. A Ponte merecia um resultado melhor pelo segundo tempo que fez, pela briga, mas o Botafogo também teve chances. Não foi empate com sabor de vitória, como chegaram a dizer alguns. Teve sabor de empate mesmo, porque foi um jogo em que a Ponte teve chances de sair vencedora e isso não aconteceu.” O elenco pontepretano volta aos treinos na terça (29), com foco no jogo derradeiro deste ano.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS