O custo da série B: Macaca fecha balanço de 2014 com déficit; situação é similar a 2011, quando time estava na B e conquistou acesso

No ano de 2013, na série A e após ter chegado às finais da Copa Sul Americana, a Macaca fechou o balanço pela primeira vez em décadas com superávit. No mesmo ano, porém, o time caiu para a série B do Brasileiro após dois anos na elite e as previsões eram de que 2014 seria um ano muito ruim do ponto de vista financeiro, não só porque haveria compromissos a pagar com menos verba e porque a série B é deficitária, como também porque seria necessário investir em um time para subir mais uma vez para a série A. Infelizmente, as previsões se confirmaram: o  balanço financeiro do clube de 2014, que será apreciado e analisado pelo Conselho Deliberativo nesta noite de segunda (13), apresenta um déficit de R$ 8,9 milhões.

“Já prevíamos um ano difícil e ele se concretizou. Na verdade, ainda estamos sofrendo o impacto de 2014 e vamos sofrer durante algum tempo em busca de um novo equilíbrio. Dá para comparar o ano passado com outro ano similar, o de 2011, quando estávamos na série B e também investimos para subir para a A, o que ocorreu na ocasião. Naquele ano, tivemos um déficit até maior, de 12 milhões, contra 8,9 de 2014, mas as razões foram as mesmas: participar de uma competição deficitária e ao mesmo tempo ter de investir para conseguir voltar a elite, que é onde o time tem de ficar não só por sua tradição como também pelo lado financeiro”, pontua Vanderlei Pereira, atual presidente e ex-diretor financeiro.

 Apesar do déficit, a dívida total do clube em títulos a pagar cresceu pouco de 2013 para 2014, de R$ 108 mi para R$ 110 milhões.  A dívida com o presidente de honra Sérgio Carnielli, como pessoa física, aumentou de R$ 66,5 mi para R$ 76,5 mi. No entanto, a dívida com a Partbol, de R$ 10,8 milhões,  foi extinta, e o débito com a Carnielli Investimentos permaneceu inalterada, de R$ 25,8 milhões. Confira a seguir o balanço:

 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS