Artilheiro William destaca: a melhor defesa começa no ataque

Jogador mantém meta de 30 gols no ano, mas diz que mais importante é ajudar o time como um todo.

Quando foi apresentado como reforço alvinegro, em dezembro do ano passado, o atacante William afirmou que tentaria fazer 30 gols durante o ano.
 
Com 12 rodadas passadas no Paulista, o jogador é o artilheiro do time e o segundo que mais marcou na competição, com seis gols anotados, mas diz que tem uma boa razão para não ter pressa em concretizar o que estipulou: mais importante é manter a obediência tática e ajudar a equipe como um todo. No entanto, ressalta, isso não significa que abre mão do objetivo pessoal que estipulou.
 
“Não fico pensando só em marcar gols, porque senão atrapalha outras coisas que tenho que fazer, como ajudar a marcar. Há jogos em que não vou fazer o gol e vou ajudar taticamente a equipe, preciso voltar para ajudar para marcação. Hoje em dia se você não ajudar não dá para jogar em lugar nenhum. O futebol evoluiu e é preciso que o atacante evoluir também: a melhor defesa começa no ataque”, diz, fazendo referência ao fato de a Macaca ser a única invicta e menos vazada do Paulistão.
 
William ressalta que até acredita que poderia já estar com mais gols anotados, mas é preciso agir em prol do time e a competição é difícil. “Tenho procurado aproveitar todas as oportunidades que aparecem, mas às vezes elas são poucas. No jogo contra o Sorocaba, por exemplo, tive uma só e marquei. Mas ainda quero cumprir o que estipulei para fazer neste ano, mas  aos poucos, sem pressa”, afirma.
 
O matador alvinegro foi artilheiro de diversas equipes pelas quais passou, sendo que em uma única vez, em 2011, dividiu a artilharia de uma competição – a Copa do Brasil – com outros dois atletas (na época, William jogava pelo Avaí). “No ano passado tive um primeiro semestre ruim no Goianiense, por caisa de lesões, mas no segundo semestre fui artilheiro do Vitória e subimos com o time. Neste ano o primeiro semestre já começou bem e vamos fazer tudo para ser um ano inteiro bom”, garante.
 
Sobre o jogo de quinta contra o União Barbarense, o atacante prevê uma partida difícil e exalta a importância de manter o foco e a humildade. “Temos que manter os pés no chão, pois sabemos que a Ponte é o time a ser batido, quem não quer tirar a invencibilidade do único invicto do campeonato? Contra o Barbarense vai ser difícil e sabemos que não ganhamos nada. No momento em que entrarmos de salto alto, aí vem o tropeço.Temos que ter humildade”, pontua.
 
O time não terá os meias Cicinho (suspenso) e Ramirez (que defende a seleção peruana nos próximos dias) para a partida, mas William acredita na força da equipe. “Dependo muito dos meus companheiros para a bola chegar, se não tiver criação não recebo bola, todo atacante depende muito da equipe.
 
Porém nós temos mais que uma equipe, temos um elenco. Há outros jogadores de qualidade e a Ponte pensou nisso quando contratou seus atletas.
 
Não sei como o Guto vai entrar com a equipe, mas independentemente disso teremos triangulação, velocidade e qualidade com a bola no pé”, prevê.

Ele finaliza dizendo que o elenco sabe que não fez um bom segundo tempo na vitória da última rodada e  isso será corrigido. “Entramos no vestiário depois daquele jogo sabedores de que a vitória foi importante, mas também de que não jogamos bem na etapa final e precisamos melhorar.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS