Artilheiro William agradece apoio da torcida e diz não irá se abater por ter perdido penais: oportunidades vão surgir novamente e centroavante não vive só de pênalti

 

Dezenove gols anotados até agora, artilheiro do Paulistão, jogador que mais anotou gols com a camisa alvinegra no Brasileirão (4) até agora e segundo maior goleador do Brasil em todo ano de 2013. Com todos esses predicados, o atacante William passou por uma situação inédita na própria carreira no último sábado, ao perder dois pênaltis contra o Bahia no empate em 0 a 0 no Majestoso. Mesmo triste, William saiu de campo aplaudido pela torceda, garante que não se abateu e que, no que depender dele, já volta a balançar as redes na próxima rodada.
 
“Foi a primeira vez na minha vida que aconteceu de eu perder dois pênaltis. Não só a noite após o jogo, mas o dia seguinte foi difícil. Claro que não é o fim do mundo, mas acho que pela responsabilidade que tínhamos e necessitávamos de fazer  pontos, isso aumentou ainda mais a tristeza. Além do fato em si, tenho um carinho muito grande pelo clube e por isso fiquei muito chateado. Assim como a torcida aplaudiu, a maioria dos meus companheiros ligou pra mim depois, me deram apoio. Fiquei feliz de ter recebido esse carinho do pessoal”, conta William, que recentemente revelou ter recebido proposta para ir para a China, rejeitada prontamente justamente em virtude do carinho pela Macaca e o bom momento que vive no clube e em Campinas com a família.
 
Na opinião de William, independentemente da qualidade do goleiro Marcelo Lomba, a responsabilidade de converter as penalidades era dele. “A carga está toda em cima do batedor e nunca do goleiro. Quando fui bater, o Lomba falou que viu minha cobrança contra o Corinthians e disse que eu iria bater no meio de novo. Tem mérito dele nisso, mas não tem jeito: pênalti bem batido é o que entra. Ele foi bem nas escolhas. Pensei em bater firme e forte, mas ele acertou os cantos”, diz.
 
O jogador ressalta, porém, que a vida continua. “Não é isso que vai me abater. Se tivesse outras oportunidades naquele jogo mesmo eu iria tentar de novo, e vou cobrar outros pênaltis quando tiver a chance, sempre tive essa característica de chamar a responsabilidade”, diz, acrescentando que o suporte recebido pela torcida não se resumiu ao estádio: “Por onde eu fui nesses dias os torcedores me apoiaram. Fiquei feliz com a força que me deram no estádio e fora dele. No jogo eu senti um pouco e o torcedor reconheceu isso.”
 
Willliam destaca que o foco da Ponte agora está no próximo jogo do Brasileirão, marcado para este domingo contra o Atlético Mineiro, e, ao ouvir a brincadeira feita por muita gente de que os pênaltis não-convertidos foram resultado de “praga” do Bahia (já que tanto Rildo, que sofreu os penais, quanto ele, que cobrou, já atuaram com a camisa do arquiinimigo Vitória), ri e faz questão de frisar que isso é mesmo piada.
 
“Perder pênalti é algo que acontece com quem bate. As oportunidades vão surgir novamente e centroavante não vive só de pênalti. Infelizmente aconteceu, mas agora é continuar trabalhando forte porque tenho certeza que mais oportunidades vão surgir para eu fazer mais gols pela Ponte”, finaliza.
 
Resumo da rodada
 
Com a finalização da rodada do final de semana, a Ponte está na 15ª colocação, com sete pontos, três abaixo do próximo rival, o Atlético-MG. O jogo contra o Galo está marcado para o próximo domingo (21) e o adversário tenta conseguir um adiamento, visto que está disputando as finais da Libertadores.
 
A Ponte Preta quer que a data seja mantida e, em teoria, isso deverá ocorrer, visto que a diretoria atleticana não apresentou a solicitação com dez dias de antecedência, como reza a regra da competição. Independentemente disso, o elenco se reapresenta nesta terça de manhã para dar início aos treinamentos da semana.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS