Artilheiro Roger destaca: “Vamos abraçar o Brigatti, traçar uma ideia nova e voltar a vencer o quanto antes, como capitão peço que nosso torcedor venha nos apoiar na noite de quinta, contra o Vila Nova”

Foto:PontePress/ÁlvaroJr

O técnico João Brigatti assume oficialmente o comando da equipe nesta segunda (24) e, de tarde, coordena o primeiro treinamento do elenco para o jogo da noite de quinta-feira, contra o Vila Nova pela Copa do Brasil. Capitão do time e 15º artilheiro da história centenária da Macaca, com 65 gols, o atacante Roger adianta que o elenco está pronto para não só receber o novo treinador como para investir nos conceitos que serão colocados por ele.

“Vamos ajeitar a casa, o João está chegando e vamos abraçá-lo, traçar uma ideia nova e voltar a vencer o quanto antes. Agora temos um jogo pela Copa do Brasil, temos que trocar a chave e ir para campo com erro zero. Como capitão do time, inclusive, peço que o torcedor venha na quinta e nos apóie, para que avancemos de fase”, conclama.

O camisa nove acrescenta que, na opinião dele, uma vitória é fundamental no jogo pela Copa do Brasil.  “É mata mata,é importante não só para nós e a torcida como para os cofres do clube que passemos, e estamos dentro de casa com a estreia do nosso treinador, que vai ter tempo para colocar suas idéias durante a semana. Por isso, vamos para cima”, afirma.

Sobre o jogo de sábado pelo Paulista, a avaliação do atleta é de que ficou um sabor amargo pela virada não ter vindo. “A gente ficou frustrado com o resultado, sabíamos da importância dos três pontos. A gente batalhou, não dá pra falar que está tudo errado. É óbvio que poderíamos estar bem melhores na competição, mas fomos muito superiores e Saulo estava na noite de goleiro, não dá pra nos culpar por isso”, pontua.

Mesmo no primeiro tempo, ainda que lamente o gol tomado, Roger não viu um adversário superior à Macaca. “No primeiro tempo, fora o infortúnio do gol, nem o Ivan nem a zaga tiveram problemas. O problema foi que na etapa inicial tivemos aquela posse de bola meio mentirosa, em que não agredimos. Mas foram mais erros nossos de passe e escolhas do que imposição deles. No segundo tempo fomos muito melhores e é claro que com um a mais facilita, mas acho que no primeiro tempo foi mais erro nosso do que qualidade da Ferroviária”, analisa.

O camisa 9 finaliza lamentando o pênalti não anotado nele na etapa inicial do jogo. “Para mim, a gente tem tido pênaltis não marcados em todos os jogos. Eu não passo do ponto com ninguém, sou respeitoso, mas está sendo prejudicial para o time. Contra a Ferroviária o  pênalti em mim foi claro e se fosse dado a história poderia ser outra.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS