Ponte treina nessa quarta (15), Aranha ressalta trabalho de Brigatti e confia em mais um bom jogo da Macaca na próxima rodada

 

Foto: PontePress

A equipe da Ponte segue sua preparação para a partida diante do Novorizontino, sábado (18), às 18h30 e realiza mais um treinamento na manhã dessa quarta-feira (15). Sob o comando do técnico João Brigatti, o elenco faz trabalhos físicos e técnicos e, do grupo atual, o atleta que conhece mais afundo o treinador interino da Macaca é o goleiro Aranha.

 

“Tenho um carinho muito especial pelo João, porque no momento de dificuldade foi ele quem me estendeu a mão. Ele poderia ter trazido qualquer outro goleiro, com mais experiência, nome, mas me deu oportunidade aqui na Ponte no começo. Sou muito grato e quando jogo agora, com ele no comando, procuro retribuir dando meu máximo, como sempre. Foi muito importante sim. Ele tem essa maneira intensa de viver as coisas, principalmente a Ponte Preta. Ele é muito intenso aqui e isso agrada o torcedor e contagia a todos do grupo”, conta o atleta, que teve Brigatti como preparador de goleiros.

 

Ainda sobre o atual técnico da Macaca, Aranha classifica Brigatti como um profissional intenso, que vive a Ponte dessa maneira apaixonada. Contudo, ressalta que esse diferencial é raro no modelo de futebol atual. “Ele sempre foi assim intenso. Acho que essa palavra o define melhor. No trabalho, na Ponte e no futebol de antigamente, todos eram um pouco mais intensos. Nas cobranças, nas comemorações… agora com essa cobertura total, onde nada escapa, temos que saber se controlar e se comportar de uma maneira diferente. O mundo hoje cobra isso. A imprensa cobra uma postura profissional, o torcedor quer um atleta profissional e muitas vezes queremos um “trabalhador de escritório”, de “empresa”, mas com atitude amadora. E isso não funciona. Tentamos achar um ponto de equilíbrio, onde buscamos sentir o futebol, mas ao mesmo tempo sendo referência para muita coisa”, explica o goleiro, que acredita em um bom jogo da Macaca, mas com dificuldades, na próxima rodada.

 

“O cara que joga na Ponte Preta não pode ter pensamento de derrota, comodismo, mas sim de pensar em vencer e ainda mais dentro de casa. Mas do outro lado tem um time capacitado, que temos que respeitar, acredito que vai ser um jogo mais difícil do que contra o Corinthians e 1 a 0 é suficiente para nós”, avalia.

 

No alto dos seus 36 anos, Aranha conta as diferenças que há em ser goleiro quando garoto, para agora que é um líder do elenco. “Se eu falho ou erro em um jogo, hoje a culpa é muito mais minha ou 100% minha. No caso de um menino que está subindo da base, ou está começando no time de cima da Série A, o erro às vezes vai cair no preparador de goleiro, porque o garoto não tem ainda a experiência e o nome para receber esse tipo de cobrança. Ele está sendo formado. Por isso no treino a exigência é maior, porque é o tempo que ele tem para aperfeiçoar e corrigir, para quando ganhar oportunidade jogar com tranquilidade”, afirma o camisa 1 da Macaca, que vê em Ivan, de 19 anos e terceiro goleiro do clube, como um grande talento.

 

“O Ivan é um goleiro muito bom, tem uma boa altura e tem o dom. Diferente de muito por aí, que são feitos em escolinhas. Ele tem a qualidade e é aperfeiçoar para estar pronto quando tiver as oportunidades”, destaca Aranha.

 

O goleiro finaliza ao traçar perspectivas positivas ao time. “A diretoria tem feito um bom trabalho na escolha dos jogadores, a comissão técnica, passando pelo Felipe, fez uma excelente pré-temporada. Agora o João assumiu, com sua intensidade, sabedoria e vivência de Ponte Preta está contribuindo muito e acho que o grupo em si se uniu, está buscando objetivos grandes e espero que consigamos”.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS