Após derrotar o Corinthians fora de casa, Macaca se reapresenta às 16 horas desta quinta e Guto ferreira destaca: a vitória nos fortalece e vamos para o dérbi buscando o melhor resultado

 

Treinador ressalva, porém, que “dérbi é dérbi” e a sequência de jogos é cruel
 
Vencer mais uma vez o campeão mundial Corinthians nos domínios adversários, mais do que a satisfação de um trabalho bem feito, trouxe ainda mais ânimo para os atletas da Ponte Preta para o dérbi deste sábado. O técnico Guto Ferreira acredita, psicologicamente, a vitória dá mais moral à equipe para o confronto com o Guarani, mas alerta que todo clássico é imprevisível e  por isso quer a equipe totalmente focada para o confronto.
 
“Agora dérbi é dérbi, e a sequencia de jogos é bastante cruel. Uma vitória como essa de ontem nos fortalece, nos moraliza,  e vamos para o clássico buscando o melhor resultado para nós, para seguir essa ascensão de pontuação e colocar a Ponte em uma situação boa de tabela. Mas sabemos de toda a dificuldade que vai ser o próximo jogo. E depois ainda pegamos o Oeste, que teve um acesso recente, no sexto jogo vem o São Paulo e depois a Penapolense, que estreou fazendo três a zero no Ituano. Campeonato Paulista não tem jogo fácil”, ressalta.
 
Para o treinador, só após a sétima rodada é que será possível ter uma idéia das forças reais do campeonato,observando-se as equipes que estarão na frente e as que começarão a ficar para trás. “E mesmo quando isso ocorrer as que ficarem para trás ainda assim vão estar brigando por alguma coisa. Uma partida só será fácil dentro do Campeonato Paulista quando uma equipe jogar muito bem para torná-la fácil. De mão beijada não vai ter nada não”, diz.
 
Guto afirma que ainda não definiu nada sobre o time que disputará a partida de depois de amanhã, às 17 horas, no Brinco de Ouro, até porque é necessário avaliar fisicamente os atletas alvinegros. A reapresentação está marcada para às 16 horas desta quinta no Majestoso – os titulares seguirão para uma academia onde farão trabalho de recuperação na piscina, enquanto os reservas farão atividade no estádio.
 
 “Essa semana estamos tendo jogos de três em três dias, o que é mais difícil. Jogamos domingo, ontem e voltamos a jogar no sábado. Eu não tenho acréscimo de um dia, então preciso primeiro recuperar quem jogou. Saber quem está disponível e em que condições para a partida de sábado. Hoje temos um coletivo contra o juvenil para o pessoal que não jogou e na sexta-feira vamos pensar na equipe, nos ajustes que podemos fazer”, diz o treinador, que aguarda a possibilidade de contar com o meia Ramirez e o atacante Alemão para a próxima rodada. Ambos poderão ter os nomes publicados no BID, ainda que o caso de Alemão, em virtude de transferência internacional, seja mais complicado.
 
Corinthians 0 x 1 Ponte Preta
 
Sobre a partida de ontem, o técnico Guto Ferreira enfatiza que foi um jogo bastante difícil. “Não adianta virmos aqui rotular que é o time reserva do Corinthians. É o Corinthians, com um plantel de qualidade, com uma estrutura gigantesca, e muito bem trabalhado pelo Tite. Um time sólido, veloz, em que nos deu muito trabalho”, afirma.
 
Analisando a partida, Guto diz que no primeiro tempo a Macaca teve uma condição de jogo muito positiva, pois praticamente não deu condições de finalização ao adversário e teve uma situação claríssima de gol, além de outras em que rondou na área adversária. “No segundo tempo eles cresceram na partida e chegaram com uma bola na trave. Na sequência, nós voltamos a retomar o controle do jogo, tivemos a condição de mais uma chance clara de gol e a felicidade de, no fim da partida, termos um pênalti a nosso favor e no qual o William foi muito feliz, converteu e nos deu a vitoria”, avalia.
 
Para Guto, este início de campanha da Ponte foi extremamente positivo, em especial considerando-se as mudanças no elenco do ano passado. “Conseguir quatro pontos em dois jogos é muito importante. Houve uma renovação no plantel e, queiramos ou não, o grupo foi modificado em 50%. Dessa equipe que jogou, atuaram comigo na reta final do Brasileiro Edson, Cléber, Ferron, Baraka e Cicinho, aí depois ainda somamos o Uendel, que é um cara que utilizei bastante. E só. Remontar 50% em 18 dias, tendo que entrosar , fazer a equipe competitiva, recuperar a parte física, é muito difícil”, pontua.
 
E finaliza: “Estreamos enfrentando o Mogi-Mirim, campeão do interior ano passado, nós sabemos muito bem qual é o bom trabalho que tem lá. Uma equipe que estava trabalhando há 50 dias. Com eles fizemos um primeiro tempo muito bom, na minha concepção, e houve uma queda no segundo tempo. Já nsse segundo tempo de ontem, em que nós estamos nivelados  em tempo de trabalho com o Corinthians, não apareceu diferença porque as duas equipes foram muito parecidas nesse aspecto. Talvez nós tenhamos tido até uma leve supremacia nesse aspecto, até porque o Corinthians está uma semana atrasado em relação à Ponte. De qualquer forma, foi um bom resultado e agora é focar no jogo de sábado.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS