Guto Ferreira diz que Atlético-MG foi adversário mais difícil da carreira e analisa momento da Ponte no Brasileirão

Crédito obrigatório para reprodução da imagem:
PontePress/Guilherme Dorigatti

 

Após a derrota para o líder do Campeonato Brasileiro, Atlético Mineiro, a equipe da Ponte Preta terá o domingo (12) de folga e na segunda-feira (13) apenas os jogadores que não atuaram no sábado irão treinar, dando assim dois dias de descanso aos titulares do time. O treinador Guto Ferreira fala sobre as dificuldades enfrentadas na última partida contra o Atlético, que considera o time mais complicado que já enfrentou na carreira como treinador.

. “De todo o meu trabalho na Série A, esse foi o time mais difícil, mais entrosado e mais qualificado taticamente e tecnicamente que eu enfrentei. Seja na outra passagem pela Ponte, na Portuguesa ou nessa. É um time que erra pouquíssimo, toca de primeira, encurta a marcação, alarga o campo com facilidade e o Levir está de parabéns. Pelo o que eu vi até aqui é a equipe que tende a ser favorita ao título", pontua.

Guto, porém, vê méritos na atuação que a Macaca teve diante deste oponente complicado. "Acredito que ainda conseguimos emparelhar o jogo em algumas situações e um time da qualidade deles teve apenas quatro oportunidades criadas, e não por erros nossos. Ainda criamos algumas oportunidades, mas não tivemos a força para concretizar”, afirma o comandante alvinegro, que também faz uma analise sobre o atual momento da Macaca na competição.

“Precisamos lembrar que estamos jogando um campeonato dos mais difíceis e temos, se não for o menor orçamento, um muito próximo disso. Mesmo com essa derrota ainda estamos em décimo, que é o objetivo do grupo, o do time: permanecer na primeira divisão. Mesmo com todos esses tropeços ainda estamos dentro dos objetivos. Nós vamos correr o campeonato todo nesse vai e vem, pois é muito difícil e requer uma série de situações que a Ponte ainda está buscando. Precisamos ter coerência e saber os jogos que vamos conseguir e ter a obrigação de lutar por vencer e os jogos em que vencer será um feito muito grande, como foi diante do Atlético Mineiro.”

O comandante alvinegro ainda comenta sobre a possível saída do camisa 10 Renato Cajá e a provável chegada de Felipe, meia que estava no Atlético Paranaense. “Em se concretizando a saída, temos que agradecer ao Renato pela contribuição até aqui, pela entrega, caráter, pelo trabalhador e pela liderança que ele exerceu. Infelizmente, a Ponte gostaria de mantê-lo, mas o poder financeiro para fazer isso impede. Agora é vida que segue e prabéns a ele por essa oportunidade muito boa, caso se efetive."

Guto acrescenta: "A situação do Felipe já está atrelada a termos que buscar soluções, vamos trabalhar bastante para buscar alguém que nos de primeiro a substituição e depois um ganho junto do grupo.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS