Amaral prevê jogo difícil na quarta, mas quer os três pontos: “Vontade de vencer só aumenta”

Foto:PontePress/DiegoAlmeida

Com 18 anos de idade, o volante Amaral vem colecionando elogios nas últimas partidas da Ponte Preta. O jovem atleta, porém, também quer colecionar vitórias. No que depender dele, que faz com o elenco na manhã desta terça (26) o último treino em Campinas antes de viajar para o Rio de Janeiro, a equipe alvinegra voltará com pontos na mala do confronto contra o Vasco.

“É um jogo difícil, sabemos que Vasco é uma equipe forte, grande no cenário brasileiro, mas conquistamos uma vitória que nos deu confiança e estamos trabalhando forte para buscar mais três pontos.  Vencer é importante sempre, não importa o jejum, dá mais confiança ao grupo. Tivemos muito vigor no jogo contra o CRB, estávamos com mais vontade de vencer e essa vontade vai só aumentar daqui para frente, pra conseguirmos mais resultados na série B”, acredita.

Além da primeira vitória na competição e em casa, o 1 a 0 contra o time de Alagoas foi também a primeira vez que Amaral venceu como titular alvinegro. “A primeira vitória é sempre importante para dar confiança a mais, foi a minha primeira como profissional e fiquei muito feliz e motivado pra conquistar mais vitórias, uma não é suficiente. Quero dar mais alegria ao nosso torcedor”, diz.

Revelado na Base (está na Ponte desde os dez anos), Amaral fala sobre a força que recebe da Comissão e dos colegas e sobre as expectativas que tem com a camisa da Macaca. “O Hélio é um treinador experiente, me ajudou, está me ajudando e vai me ajudar bastante, assim como o grupo, que me dá dicas, me posiciona melhor. Estou pegando tudo e aprendendo rápido. Hoje tenho mais dois anos de contrato e como todo jogador de Base sonho meu sonho era chegar no profissional. Então quero aproveitar esse momento, fazer história na Ponte, trazer esse acesso, pensar primeiro no presente e depois no futuro”, afirma.

O volante termina revelando quais são os ídolos que inspiram o futebol e a dedicação dele em Campo. “Me inspiro no Fabinho, do Liverpool, no Kaká – que foi melhor do mundo e é muito craque, sou muito  fã dele – e no Tony Cross, do Real Madrid, que admiro muito.”

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS