Ponte treina nesta tarde e Adrianinho quer aproveitar chances de ganhar ritmo antes do Brasileirão

 

Crédito obrigatório para reprodução da imagem: PontePress/FábioLeoni

 

A Ponte Preta vai realizar mais um treinamento técnico na tarde dessa quarta-feira (29) no Centro de Treinamentos do Jardim Eulina. Este será o último trabalho da equipe antes de seguir viagem para os Estados Unidos onde enfrenta o Orlando City em amistoso no sábado (02).

O meia Adrianinho está dentro do grupo que vai para a Flórida e também espera poder ajudar o time na Copa do Brasil diante do Moto Club na quinta-feira (07) e contra o Grêmio pelo Campeonato Brasileiro no domingo (10). “Eu vou para os Estados Unidos, estou no grupo previsto para a Copa do Brasil e espero ir no Brasileiro também. Quanto mais oportunidade de jogo nós tivermos melhor e eu fico muito feliz por isso. Podemos entender essa situação de duas formas. Ou a viagem vai deixar a equipe um pouco desgastada ou vamos ter horas a mais de jogo e um ritmo melhor. A programação que a Ponte Preta está fazendo é com times diferentes justamente para não ter esse desgaste para o domingo no Brasileiro que é o mais importante.”

O meia comenta também sobre o processo de reformulação que o elenco está passando nessa inter temporada. “O elenco da Ponte está se fortalecendo cada vez mais. Além dos jogadores que estão chegando como o Gilson e o Borges, estamos tendo a grata surpresa de ter alguns jovens conosco e dando respostas satisfatórias como o exemplo do Leandrinho, que mesmo muito jovem tem muita habilidade e personalidade. É óbvio que é preciso se reforçar, até pelo tempo de campeonato que são oito meses desgastantes e a Ponte vem fazendo isso de forma inteligente na minha visão”, diz Adrianinho.

Por fim, o camisa 10 ainda analisa a proposta de padronização dos campos de futebol, um dos temas abordados durante 1º Encontro de Técnicos da Série A realizado pela CBF nesta segunda-feira (27) e que contou a presença do comandante alvinegro Guto Ferreira. “Não que isso faça tanta diferença, mas isso deixa tudo mais organizado. Sempre que formos jogar, não importa aonde, vamos encontrar as mesmas condições. Hoje em dia a maioria dos gramados é muito parecida, mas ainda existem alguns diferentes. Um deles é o que iremos jogar na Copa do Brasil (no estádio Castelão em São Luis do Maranhão), um gramado muito pesado com a bola correndo menos e isso dificulta e atrapalha a preparação”, pontua Adrianinho.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS