Adrianinho, que segue em recuperação e completou 34 anos na sexta, relembra estreia pela Macaca e bota fé na evolução da equipe

Crédito obrigatório para reprodução da foto:
PontePress/DJotaCarvalho

O elenco da Ponte Preta treina na manhã deste sábado (12), mas um dos atletas mais queridos pela torcida ainda segue em recuperação. O meia Adrianinho está em tratamento de uma contusão muscular na coxa e por isso não pode, no momento, ajudar seus companheiros. Mas o atleta teve motivos para comemorar nesta semana: o ídolo pontepretano completou 34 anos nesta sexta-feira, dia 11 de julho, e relembra como foi seu início com a camisa alvinegra.

“Subir para o profissional no ano em que a Ponte conseguiu o acesso foi ótimo. Foi em 1997. Minha estreia foi em um jogo contra o Goiatuba, aqui no Moisés Lucarelli. Foi uma festa muito grande, já que a luta também foi imensa para conquistar o objetivo”, diz o jogador, que conta detalhes de como foi chamado para a partida.

“Eu não tinha sido convocado para o jogo, até mesmo porque eu estava na categoria juvenil ainda. Aí me ligaram em casa, dizendo que um jogador não iria poder atuar, e eu estava inscrito e completaria o banco de reservas. Vim muito feliz para Campinas, pois na época estava em Jundiaí, na casa da minha mãe. O Pardal, que era o treinador, conversou comigo, disse que não era para eu entrar em dividida, para eu pular fora das jogadas duras, mas que atuasse no meio campo, tocasse a bola rápido, para não tomar entradas fortes e dessa forma eu estreei”, recorda.

O meio-campista afirma também que o confronto foi complicado. “Foi um jogo difícil. Ganhamos de 1 a 0, o time do Goiatuba era um time duro, difícil de vencer, mas a Ponte Preta conquistou os três pontos naquele jogo, que foram importantíssimos para o acesso”, diz o jogador.

Hoje mais experiente, Adrianinho se vê na função dos atletas mais velhos de sua época. Procura aconselhar os garotos que chegam ao time profissional, em busca de ajudá-los a ter uma adaptação mais fácil no time principal.

“Hoje eu sou bem diferente. Naquela época eu estava estreando, para mim era uma festa. Os jogadores que tinham aqui na época mais velhos, que comandavam o time, controlavam a situação. Nos davam confiança para que pudéssemos entrar e jogar tranquilos. Faziam aquela base para que os mais jovens pudessem estar jogando e treinando tranquilamente. Digamos que eles nos davam o caminho das pedras e de como conduzir. Hoje tenho parte nesse papel. Os mais velhos tem que fazer isso, controlar o ambiente, acalmar quando tem que acalmar, acelerar quando tem que acelerar. Pela experiência nós já sabemos como conduzir a situação”, explica.

Adrianinho vê boas perspectivas de, assim como subiu em 1997, conquistar o acesso em 2014. “É difícil você falar o que vai acontecer no futebol, é um pouco imprevisível. Mas nós temos condições. Pelo elenco que tem, pelo clube que é, pela tradição e força que tem. Têm chegado alguns jogadores, reforços que eu tenho visto com bons olhos e que vão ajudar muito. Então a Ponte Preta está se fortalecendo. Mostrou nestes dez primeiros jogos que tem condições, perdemos alguns pontos bobos, que se tivéssemos conquistado estaríamos muito bem na tabela. Mas tenho certeza que vamos dar um bom salto na classificação”, completa.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS