Adeus a um ícone: jogadores e técnico Dado Cavalcanti se emocionam ao relembrar do pontepretano Luciano do Valle

O Brasil perdeu ontem um ícone do jornalismo esportivo, um ser um ano notável, um apaixonado pela Ponte Preta. Luciano do Valle se foi e, nesta manhã de Páscoa, durante o treino da Macaca, os atletas e o treinador Dado Cavalcanti falaram sobre as lembranças que têm do jornalista.

“O Luciano foi um dos maiores incentivadores do esporte do país. Defendeu o meu estado, de Pernambuco, muito mais do que juntos que nasceram lá, teve presença efetiva no crescimento do esporte e da economia do estado. Me lembro que quando ele chegou lá eu jogava na base do Santa Cruz e ele começou a transmitir o campeonato SUB20. Eu, garoto, queria ter meu nome narrado por ele nas transmissões, mas na época só consegui ficar no banco de reservas. Em 1997 esse sonho se realizou, 14 anos depois, quando eu trabalhei pelo Mogi Mirim, ganhamos do São Paulo no Paulista e recebi vários elogios dele no ar. Guardo isso como recordação única em minha vida, trago no coração”, diz o treinador Dado Cavalcanti.

Ele conta que teve contato próximo com a família do jornalista, pois a irmã de Dado – que é cantora profissional –  cantou no casamento dele. “Por isso é uma perda muito grande, significativa pro Brasil e pra mim, minha família também. Estamos muito tristes, chorando o luto pela ausência dele no domingo esportivo, tenho certeza que ele sempre será lembrado por tudo que fez, tudo o que foi e tudo o que representa”, diz.

O goleiro Roberto também lamenta o passamento de Luciano do Valle. “Quando eu era menino, assim como muitos que sonhavam em ser jogadores de futebol, acompanhava a narração dele, sonhava em ter um jogo narrado por Luciano do Valle e outros grandes do jornalismo esportivo brasileiro. É muito triste. Se hoje já sentiremos a falta dele nos jogos do Brasileiro, imagine como vai ser na Copa do Mundo”, diz o capitão alvinegro.

O meia Adrianinho, que teve gols narrados pelo jornalista, relembra como ele marcou sua vida desde a infância. “Na minha memória me lembro quando eu era criança, brincando pra lá e pra cá, com a televisão ligada e ouvia ele gritava gol, com sua voz inconfundível. Depois, com 12 anos, em Vinhedo, participei da Copa Luciano do Valle, um campeonato criado por ele e que foi a primeira competição de futebol de minha vida. Joguei pela Ponte Preta e já ali foi uma honra, com tão pouca idade, ter meus gols pela Ponte narrados por ele”, conta.

O meia e atacante Edno finaliza resumindo o pensamento de todos os atletas. “É muito triste, uma pessoa tão querida por tantos, um pai de família, um dos maiores narradores de futebol do país. É uma perda enorme, espero que esteja ao lado de Deus e ficam meus sentimentos à família e aos amigos.”

A Associação Atlética Ponte Preta reitera seu pesar e se solidariza com toda a família e amigos de Luciano do Valle. O jornalista, que nasceu em Campinas e sempre se declarou torcedor pontepretano, está sendo velado nesta manhã na Câmara de Campinas e será sepultado ainda neste domingo, no cemitério Parque Flamboyant.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS