Transparência: em coletiva, presidente do Conselho esclarece dúvidas sobre as eleições de 20 de novembro

O presidente do Conselho Deliberativo da Associação Atlética Ponte Preta, Tagino Alves dos Santos, respondeu em coletiva a questões da imprensa sobre as eleições da Macaca, marcadas para o próximo dia 20 de novembro. Confira a seguir os principais tópicos abordados na entrevista com a mídia de Campinas.

Inadimplentes fora da eleição

O Estatuto e o regimento interno preveem penalidades para os associados e conselheiros que não cumprirem com suas obrigações estatutárias. As obrigações financeiras são previstas no estatuto e aqueles conselheiros que não cumprem com elas obrigações estão sujeitos às penalidades. Aminha visão é que é necessário cumprir o Estatuto Social da Ponte Preta

Violência na última reunião do conselho

Eu não concordo, não apoio o que aconteceu e já adotamos medidas para maior segurança nas reuniões. Tivemos um episódio parecido na gestão anterior, quando o presidente era o Mauro Zuppi e eu era o vice. Na ocasião, ele terminou a reunião, assim como fiz desta vez. Reitero que repudio o ocorrido e estamos também apurando responsabilidades.

Registro de chapas para concorrer na eleição

Até agora não recebemos nenhum requerimento de registro de chapa. Até dia 30 de outubro tem tempo para que as chapas se apresentem, ainda está dentro do prazo.

Aptos a votar e a serem votados

A lista dos aptos a votar e serem votados já foi publicada e as pessoas liberadas são as que constam nesta lista. Não existe outra. O que pode ocorrer são informações aos conselheiros sobre pessoas que consigam recuperar seus direitos, via liminar, por exemplo, ou eventuais correções de um conselheiro que, por exemplo, é contribuinte e tenha aparecido na listagem como patrimonial. Repito aqui que nosso estatuo reza que para participar do pleito é preciso estar rigorosamente em dia a com a Ponte na data da publicação do edital, o que ocorreu no dia 18 de setembro, e a listagem puxou as pessoas que estavam rigorosamente em dia. E é importante lembrar que todos os conselheiros sabem que têm a obrigação de honrar os compromissos financeiros com o clube.

Normalidade

As eleições acontecerão regularmente, dentro dos critérios do estatuto. As chapas poderão acompanhar todo o processo, os conselheiros poderão acompanhar detalhadamente. O processo eleitoral ocorrerá normalmente e não acredito que alguma chapa venha a judicializar a questão.

Dia de eleição

No dia 20 acontece todo o processo, do início ao final, quando é anunciado a chapa vencedora, tudo dentro da Assembleia Geral de Votação. O processo se inicia às 13h30, em segunda chamada, com o presidente do Conselho convocando a assembleia e fazendo uma fala inicial. Então é eleito um conselheiro para presidir a assembleia e ele escolhe dois associados também aptos a votarem e a serem votados, para serem primeiro e segundo secretários, e dois outros para serem escrutinadores. Esses cinco são a mesa da assembleia geral de eleição. O processo vai até às 20 horas e dentro dele todos os atos são praticados: votos, que são secretos, eventuais impugnações. O processo se encerra com a apuração dos votos e o presidente da assembleia declara a vitória da chapa mais votada.

Justiça e segurança

O Departamento Jurídico está respondendo a todas as questões judiciais e no âmbito do Conselho Deliberativo todas as decisões judiciais serão cumpridas: decisão da justiça não se discute, se cumpre. Em relação à segurança na assembleia, imagino que não vai haver mais problemas. Já conversei com a diretoria e foi solicitado reforço para que essas questões não ocorram mais.

Processo legítimo

Não tenho nenhum receio de que a chapa derrotada não aceite o resultado e entre na justiça. Todo o processo é legítimo e tudo deverá ocorrer de maneira democrática e transparente, como sempre ocorreu na gestão atual do Conselho.  Tudo está sendo feito de maneira transparente e de acordo com nosso Estatuto Social.

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS