Kleina enfatiza: “Vamos fazer de tudo para que seja um reencontro mágico com a torcida e possamos conquistar mais três pontos diante do Náutico”

Foto:PontePress/ThiagoToledo

Depois de conquistar um bom resultado diante do líder da competição na noite de ontem, A Ponte Preta chegou no final da manhã a Campinas e já se reapresenta na tarde desta quarta-feira (6). A equipe agora irá se focar em manter a invencibilidade de oito jogos que acumula no Majestoso e, mais do que isso, vencer o Náutico na partida que foi transferida para às 16 horas do sábado que vem (16) e marcará a volta da torcida ao estádio.

“Todos esperamos por esse retorno e queremos que ele seja positivo. Vamos fazer de tudo para que seja um momento mágico, que possamos dar a vitória pra a nossa torcida nesse reencontro, vamos fazer de tudo pra isso. Teremos que fazer um jogo muito inteligente, ter sabedoria, para que possamos conquistar esses três pontos e desfrutar disso junto com seu torcedor”, pontua.

O treinador acrescenta que conta muito com a energia positiva dos pontepretanos. “Já vimos situações de outros times em que na volta houve até protestos e cobranças fortes que desestabilizaram os times da casa e o apoio, por outro lado, é fundamental. Mesmo sem estar no estádio a nossa torcida já está fazendo a diferença, nos abraçaram no nosso pior momento na competição e isso deu frutos. Dentro do Moisés eles fazem ainda mais a diferença e contamos com todos para fazer mais uma vitória e ,a partir dela, fazer a projeção para crescer mais na tabela”, diz.

Sobre o empate de ontem com o Avaí, Kleina tece comentários. “Temos de comemorar esse ponto, sim. Umm ponto valioso. Tems que considerar o momento do Avaí, com todo o clima de vir de quatro vitórias, falando em título, e a gente entrou para fazer o jogo. Acho que o time cresceu durante a partida e, depois que encaixou, conseguiu fazer algumas mudanças pontuais que dificultou e desequilibrou a marcação do Avaí.  Se a gente tivesse feito três pontos, inclusive, não seria surpresa pelo modo que jogamos. Todo mundo de parabéns”, afirma.

Ele ressalta que, mesmo ante uma odisséia de jogos e com desfalques, a Macaca soube jogar diante de um oponente perigoso. “Fizemos quatro jogos em 11 dias, sendo nove em hotel, concentração. Tivemos baixas nesse período, viemos enfrentar o Avaí sem sete atletas. E utilizamos jogadores que vinham de lesão, jogadores mais desgastados.  A gente superou várias situações para esses quatro jogos e só tenho a enaltecer a força do elenco e o trabalho de todos os atletas”, destaca.

Kleina conclui revelando que pediu aos atletas que em campo pensassem apenas no confronto com o Avaí, deixando de lado a revolta com a arbitragem que prejudicou a Ponte ao inventar um pênalti no final da última partida, na rodada passada. “Eu não consigo entender quando o VAR chama uma situação inexistente. Houve uma revolta, na reapresentação ainda estava todo mundo indignado. Foi inaceitável, inexplicável aquele pênalti, despertando uma indignação geral no vestiário. Mas são situações que fogem da nossa alçada e a gente pediu para o time esquecer a arbitragem e focar no jogo. Por isso fico feliz da reação, da postura, da atitude que a equipe teve.” 

Notícias Recentes

REDES SOCIAIS